quinta-feira, 1 de março de 2012

Canos e Mamutes.

Paris Hilton
Eu já vos tinha dado o lamiré aqui, mas achei que não me apetecia falar muito sobre o assunto. Agora que ultrapassámos o nível do desespero, tenho que desabafar. Eu não fui feita para sofrer com problemas de canalização. Aliás, eu não fui feita para lidar com qualquer problema técnico que não possa resolver sozinha e num ápice. Estão a instalar uma canalização nova inteirinha cá em casa. Vocês não estão bem a ver o pânico! Ele é desconhecidos a entrar e a sair, berbequins ao acordar (sim, que eles são madrugadores e chegam logo às oito da matina!), zero privacidade e nenhuma tranquilidade.
O pior? Ter que ficar fechada em casa porque podem sempre precisar de alguma coisa. Como não podemos cozinhar, porque a cozinha tem canos e por isso também é local de trabalho para os senhores, temos feito as refeições todas fora. Ainda por cima, está virada do avesso. Ele é lama no chão, que aquelas botas deles não se limpam sozinhas; ele é armários vazios e tudo espalhado em cima da mesa e das bancadas; ele é... bom, até o jardim parece a Faixa de Gaza os vizinhos devem julgar que estou a abrir uma vala comum à entrada de casa e a Adda(*) anda desesperada, tadinha, nem pode correr livremente. Nem vou descrever a confusão dos quartos de banho. Ao final do primeiro dia, a Mana Lamparina só falava em ir para um hotel, mas depois eu consegui convencê-la (e ao papá) a ficar em casa. Acho que fiz mal.
Sabem porquê? Porque o que é mesmo dramático é a falta de capacidade que os senhores canalizadores têm para fechar portas. Entra e sai o dia todo e as portas exteriores sempre abertas. Todas. E o jardim todo escavado, como já referi. Sabem o que isso significa, certo? BICHOS! E Mamutes. Muitos. Entraram à socapa. Eram uns quatro ou cinco espalhados pela casa e causaram os momentos mais terríveis desta minha última semana. Tão terríveis que não quero contar-vos, como faço às vezes(**). Foi grave. E estou a pensar seriamente em procurar ajuda profissional para me ver livre desta fobia... ou pelo menos, atenuá-la. Alguém sabe de alguma terapia em que não seja necessário o confronto com o objecto do medo?


(*) É a minha cadelinha. Cadelona, vá.
(**) Falei sobre o assunto ali e acolá.

5 comentários:

Olhó Mau Feitio disse...

C-r-e-d-o!

Olhó Mau Feitio disse...

Não percebi a do miminho. :s

Miss Pink * Sofia disse...

Ui...está mesmo o pânico instalado. Isso de obras é horrível. Os meus pais há 3 anos decidiram remodelar tudo, obras a fundo. E ficámos a viver cerca de 10 meses na casa da minha avó...mas não foi lá grande coisa loool.
Menina Lamparina, acho um máximo como descreves tudo, transportas-me sempre para dentro do texto e há momentos que dou comigo a imaginar a situação =P Beijinhos e Bom fim de smn***

Karen Ussene disse...

Oh wow, que caos! Quando estava em Portugal um dos meus novos vizinhos de cima andou a fazer obras "ah e tal eh so uma semana" vai la vai, ja iam em 3! Eu nao sei o que tanto aquela gente martela, e usa o berbequim ohpah, era logo 9 da manha ate as 19 jazus! E antes de sair de portugal haviam outras obras prestes a acontecer no predio, sorte ter saido de la antes de comexarem, se nao dava em doida >.<
xoxo
http://shinigami-u-openingmymind.blogspot.com/

menina lamparina disse...

LOL Olhó Mau Feitio, só de me lembrar dessa confusão comecei a rir às gargalhadas... xD

Sofia, foi o Texas. Nem acredito que já acabou! :D Ainda bem que consegues visualizar o pânico, a intenção era mesmo essa eheheheh :)*

LOL Karen Ussene! :D Aqui o horário era sempre das 8h às 19h. Um terror... e eu não podia fugir!! Ahahahahah credo!

Beijinhos*