sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Obrigada, senhor da Brisa!

Ontem acordei cedinho, tomei o pequeno-almoço nas calmas, fui para o banho, besuntei-me nos meus cremes, passei o babyliss pelo cabelo, escolhi o outfit, vesti-me, calcei-me e saí de casa, rumo às aulinhas.


Apesar da chuva e do céu cinzento, ia feliz por ter acordado cedo e por ter conseguido fazer tudo o que queria sem pressas. A smooth a tocar, eu a cantar. Mesmo à entrada da Via Verde, tive um susto de morte.
O meu maior medo, a minha fobia de que não falo sequer. Apareceu um bicho daqueles mesmo por cima do retrovisor. Era grande demais para que pudesse tentar matá-lo. Não me despistei por sorte, mas parei o carro imediatamente, num daqueles lugares para estacionar que existem logo após as portagens.


Não sabia o que fazer e fui totalmente dominada pelo pânico. Além disso, senti-me completamente frustrada. Senti-me estúpida por não conseguir controlar-me. Senti-me uma grande anormal, vá.
Depois de alguns gritinhos e tremeliques e de me lembrar que para sair do carro era necessário destrancá-lo, abandonei-o num ápice, preocupada com a hipótese de o bicho se esconder.
Ninguém por perto a quem pedir socorro. Só o senhor da portagem. À chuva e ao vento, com lágrimas a correrem-me pelo rosto, pedi-lhe ajuda, balbuciando vocábulos para explicar o que se passava.

- Quer que telefone a quem?
- Eu não quero que telefone a ninguém, eu quero que me venha matar o bicho!

Um querido. Não imaginam. As pessoas tendem a gozar com as fobias e com a ridícula figura que faço por causa desse medo incontrolável. Por norma, não tentam sequer ajudar. Aproveitam para rir um bocado, provocam, ignoram, assustam, humilham. Ele foi super amoroso, deixou o seu posto de trabalho para me vir salvar do drama. Claro que o bicho já se tinha enfiado por qualquer fresta, mas ele foi incansável. Viu e reviu o interior do carro, revistou todos os cantos, acalmou-me e nem me queria deixar continuar a viagem naquele estado.
- E se ele aparece outra vez? A menina ainda tem um acidente! Telefone a alguém para a vir buscar.
Insistiu imenso, mas não poderia fazer ninguém entrar na auto-estrada à toa, para depois só poder sair em Condeixa. Sequei as lágrimas, obriguei-o a deixar-me porque a fila na portagem já era grande demais para que me sentisse confortável roubando o seu tempo e fiz-me à estrada. Foi a pior viagem da minha vida.
Não me atrevi a ligar o quentinho, porque o calor atrai os insectos. Vidros abertos para entrar muito frio e o medo constante a deixar-me inquieta, sempre a olhar para todo o lado, não fosse ele surgir novamente. Não tive acidente nenhum. O meu cabelo ficou irreconhecível. O bicho não se atreveu a voltar a aparecer e já enchi o carro de insecticida.

E agora vocês perguntam: "Porquê a Paris Hilton?"
E eu respondo: "É que fiquei a sentir-me uma diva, no pior sentido da expressão."

8 comentários:

Lena disse...

Este final está lindo! Passei a tua foto novela toda a pensar porque raio estarias com tanto trabalho com a "ilustração"...muito bom:P

Ao Virar da Esquina disse...

Bom tenho que confessar uma coisa, tb tenho uma fobia, só que é mt mais estranha que a tua... Pelo que percebi tu tens pânico de um determinado insecto. Não vejo nada de anormal nisso, aliás conheço muito boa gente que tem pânico desses bichos, a começar por uma colega que tem medo de abelhas e quando almoçamos com ela na esplanada e aparece uma abelha temos todos que trocar de lugar. Já chegamos a trocar os tabuleiros de mesa umas 10 vzs em menos de 1h.
Já eu não tenho medo de nenhum insecto, nem aranhas nem cobras nem ratos, que são assim os bichos que criam mais pânico. Cmg é mesmo GALINHAS... sim é isso msm. Tudo quanto seja bicho de penas e tenha bico causa-me uma insegurança brutal. Desde ter que cortar as unhas ao piriquito com umas luvas calçadas ou quase ter feito tombar uma carruagem no badoca parque porque uma avestruz ficou a 10 cnt do meu nariz.
Nunca te passe pela cabeça que és ridicula por causa da tua fobia. É que ng conhece todos os outros habitantes da terra e posso garantir que quase de certeza eles têm fobias mais estranhas que a tua...
Shiuu... não contes a ng que eu tenho medo de galinhas ;-)

Tamborim Zim disse...

rsrsrsr Bom, cof cof. N se trata de troça má, nem boa. É q a cena está deliciosamente descrita, com enquadramento, emoção, acção, drama, horror, final feliz e belíssima ilustração:) Agora só uma notinha: n é preciso MATAR o bichinho. Pode afastar-se, pegar-lhe com muitos guardanapos e deixá-lo voejar p outros desnortes. Zim?Beijinhos Lamparina.

Corina de Oliveira disse...

ahahahah xD mas correu tudo bem, nao te preocupes :p

Espero que tenhas um bom fim-de-semana!
Beijinhos ***

menina lamparina disse...

lehninha, espero que te tenha agradado o exímio trabalho que tive com a ilustração. :D

Su, adorei esta história de "trocar os tabuleiros de mesa umas dez vezes em menos de uma hora"... ahahahah
Obrigada por partilhares a tua fobia, de facto toda a gente tem uma e isso não tem nada de ridículo.

Por outro lado, acho que há umas mais fáceis de lidar que outras. No tecto do teu quarto de banho não irá, provavelmente, aparecer uma galinha nem uma avestruz.
Já o insecto que me causa pânico pode aparecer por todo o lado, até dentro de um sapato meu.
Esta fobia condiciona toda a minha vida, porque tenho rituais maníacos à custa dela. É chato e já fui aconselhada a recorrer a terapias para me ver livre disto, mas tenho pavor de ser confrontada com ela.

Um conselho gráteees: não vás viver para a província, que as galinhas proliferam!

E cá entre nós, também não simpatizo com aves. Uma pessoa nunca sabe bem se ela nos magoa ou não - fala a voz da experiência, que um ganso quase me arrancou um bocado da coxa em miúda.

O segredo fica bem guardado.

Beijinhos*

menina lamparina disse...

Tamborim, não Zim.
Quero que eles morram todos e que sejam exterminados do planeta. Argh.

Ainda bem que curtiste a ilustração, achei tão fixe encontrar imagens como a segunda!!! :D
Beijinhos*

Corina de Oliveira, tive um fim-de-semana cheio de inseguranças por causa deste episódio.
Andar descansada nesse carro - esquece.
Momentos tranquilos antes de dormir - esquece. Argh.
Espero que o teu tenha sido melhor... :D
Beijinhos*

Miss Pink disse...

Ui que coisa =S Isso é que foi um percurso atribulado =|
Eu tb tenho fobias, compreendo-te! Muitoooo bem!

menina lamparina disse...

Um horror, Miss Pink!! Um horror... :)*