quinta-feira, 1 de março de 2012

Ontem foi o dia.

Kim Kardashian
Estava louca para ir andar de patins. O tempo tem estado fantástico e não posso deixar que os mimos do namorado (estes ou estes aqui) se acumulem no meu rabo.
Ontem foi o dia.
Combinei com a Inês e com a Di F. que enquanto elas iam correr, eu patinava. Perfeito.
Sabem, nunca tinha caído de patins e já patino desde os quatro anos, para aí. Nunca caí com patins tradicionais, no gelo ou em linha. Nada. Zero quedas.
Ontem foi o dia.
Talvez o facto de ter um metro e setenta e de, por isso, estar um bocadinho mais longe do chão, me obrigue a um equilíbrio diferente. Talvez o facto de ter sentido as rodas tremer e não ter feito nada tenha ajudado à festa. Talvez o facto de achar que acessórios como cotoveleiras e joelheiras são para meninos tenha sido a razão para que esteja coxa.
Não foi bem uma queda... foi um acontecimento hilariante: vi a descida. Já a tinha feito duas ou três vezes. Aproximei-me com cuidado e deixei-me ir, naquela posição aerodinâmica de quem esquia. Assim que grito "uhuuuu!", as rodas tremem e não sinto estabilidade nenhuma nos patins, que começam a forçar-me a ir para a direita, em vez de seguir em frente. A velocidade aumentava e só pensei que a melhor solução seria encostar-me ao muro contra o qual iria bater anyway. Se assim o pensei, melhor o fiz. Mas fi-lo tão rápido (sim, que este parágrafo equivale a dois segundos) que quando me colei ao tal muro, arei a terra do jardim que estava ao nível da parede com as minhas unhas. Tipo, à altura da minha cabeça estava um jardim, percebem? Mais ou menos isto aqui. É que o parque onde gosto de patinar tem alguns desníveis (ou socalcos). Depois não sei o que aconteceu, porque comecei a rir. Recompus-me e continuei durante mais meia hora, apesar das dores.
Devo ter raspado com o joelho algures no chão, o cotovelo não faço ideia onde se esfolou. Olhei para as minhas mãos e parecia uma menina da Ribeira do Sado, cheia de terra nas unhas. Passei-me quando vi que tinha DUAS partidas. É que fiz a manicure anteontem... Bom, depois do banho, como o papá é veterinário, tratou do meu joelho. E tão amoroso que depois de chorar a rir com o meu andar, gozar com o meu andar e ainda dizer que eu não sei coxear, tratou da abóbora que tenho como joelho com Desinclor, que é cor-de-rosa e não arde. Gostei. E pronto, agora tenho um inchaço do tamanho de duas nozes a abóbora era só para terem pena de mim, estou com dores de rir(*), pareço um pinguim a andar e espero que o sangue não me estrague as calças. Ridículo.
Claro que só volto a pegar nos patins quando isto passar. Até lá, vou trocar a posição das rodas e apertá-las bem. Humpf.


(*) Sabem aquela dorzinha que nos faz gemer e rir sem muita força ao mesmo tempo? Essa mesmo.

3 comentários:

Olhó Mau Feitio disse...

ahahah desculpa mas tive q me rir :D

Tb comecei a patinar cedo e dps deixei e ja nao sei andar. :(

mariana costa veludo disse...

momentos hilariantes que nos vão acontecendo e que depois cá ficam. Oh e não estragues as calças com o sangue ! beijinho e as melhoras do joelho

menina lamparina disse...

LOL podes rir à vontade, Olhó Mau Feitio. Eu fui a primeira a rir com a estupidez do momento. A quase três anos dos trinta, cair como uma miúda é brutal... LOL :D Beijinho*

Obrigada, querida! Hoje está BEM dorido, mas espero que dê para dançar no fds... isso é que é um problema! :D Beijuuu*