quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

da Noite.

Margherita Missoni
Sempre gostei da noite. Em pequena, evitava adormecer só para poder ficar mais um bocadinho na sala, na companhia dos meus pais e dos amigos. Gosto mais de dormir de manhã. Sempre me fascinou a lua, minha companheira das viagens de carro. Era para ela que olhava, através da janela, quando já não tinha mais nada para dizer, mais nenhuma canção para cantar. Lembro-me de me sentir especial por tê-la ali a planar, fazendo o mesmo caminho que eu só para não me deixar.
Sou mesmo da noite, que é nela que as conversas se aprofundam. É com ela que os climas se tornam mais íntimos. Adensam-se os sentimentos e são espontaneamente expelidos por cada poro. Também as dores se intensificam, a febre sobe e os medos ganham terreno. A escuridão torna visível o que a luz do dia ofusca.

6 comentários:

Miss Pink disse...

Também prefiro a noite e manhã na caminha =)

Vânia disse...

eu gosto da noite e da sua luz caracteristica mas tambem gosto muito do dia, não consigo dormir até tarde fico sempre a pensar que o dia está a passar, mas pronto são gostos:-)

Leonor disse...

Como eu gosto de ficar na cama de manhã!!!

Lisbon Lifestyle disse...

impossivel identificar-me mais com um post como com este.

Tamborim Zim disse...

Bonitíssimo texto. Partilho no meu FB.Beijis:)

menina lamparina disse...

Miss Pink, sabe tão bem, não sabe? Hoje tirei a barriga de misérias. Que é como quem diz, dormi bué. :D

Eu também sinto isso, Vânia. Não gosto de perder tempo útil do dia. Sempre que acordo tarde, como hoje, fico com a sensação de tempo perdido... mas no momento em que estive na caminha, não queria saber. É assim um agridoce. lol Talvez eu não goste mesmo é de sair de casa de manhã.

Como te compreendo, Leonor... cama ou sofá. :)

Lisbon Lifestyle, a noite é mesmo mágica, não é? :)

Obrigada, Tamborim... :)*

Beijinhos*