quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Sobre o meu trabalho mais extreme: Acabou-se a papa doce!

Tudo começou em Fevereiro. No contrato constava que ia ser cobaia da nutricionista e comprometi-me não só a seguir as suas directrizes como também a alimentar a rubrica quinzenal "Acabou-se a papa doce" no jornal onde trabalhei. Ficou acordado que na última publicação revelaria a minha identidade. Foi uma experiência gira: manter o mistério, escrever num registo informal (não tanto como no lamparina, não tão sério e informativo como o jornalismo me exigia), partilhar experiências, vitórias e toda a mudança que este trabalho trouxe à minha rotina. Foi divertido, confesso. As reacções que me foram chegando eram sempre surpreendentes. Houve quem comprasse o jornal só para matar o vício de ler a Papa Doce. Houve quem seguisse a rubrica como eu sigo Gossip Girl, com aquela ânsia pequenina cá dentro, provocada pela insaciável curiosidade de quem quer saber mais da vida do outro, aqui agravada pelo rosto escondido. Houve quem se armasse em detective, tentando desvendar o mistério antes de tempo.

Na véspera da revelação, nem dormi bem. Estava em pânico. A exposição assustou-me e eu não tinha sequer pensado nisso quando a ideia surgiu. Os meus números, o meu peso, o meu antes e o meu depois à mercê da jocosidade alheia.

"Os comentários menos bons não vêm ter contigo, por isso não te preocupes com eles. O que interessa é que o trabalho foi um sucesso e que atingiste os objectivos a que te propuseste." - acreditei.


À esquerda sou mesmo eu.
Podem clicar nas imagens para ver melhor.

Foi um caminho demasiado curto para a enorme mudança. É estranho: não me acho muito diferente, mas vendo as fotografias, não me reconheço naquelas que foram tiradas há vinte quilos. E não imaginam como elas me entristecem. Porque não me via assim, porque gostava de mim e me achava gira.
Por outro lado, também não me reconheço actualmente. Passo a explicar: quando me vejo reflectida nas vitrines, não me apercebo imediatamente de que a imagem reflectida é, de facto, a minha. Há dias, num passeio com a Mana Lamparina e uma tia, vi-as reflectidas no vidro de uma loja e não percebia porque não aparecia ao lado delas... e demorei imenso tempo a ver-me. "Aquela sou eu?"
Não acontece só comigo. Uma das minhas melhores amigas passa sempre à frente da mesa onde estou sentada à espera dela, no café, para se certificar de que sou mesmo eu. Diz ela que não me reconhece de costas. Outra, há dias, só chegou à conclusão de que "a gaja da camisa gira e com um cabelo bonito" na caixa de supermercado ao lado era eu, porque estava acompanhada da minha mana.

E isto até seria divertido se eu me sentisse como achava que ia sentir perdendo vinte quilos: fantástica. Sempre pensei que perder peso me iria transformar numa gaja boa, podre de boa, com a mania que é o máximo... e não. Não aconteceu nada disso. É com tristeza que vejo os meus casacos e blazers de Inverno abandonarem o meu armário, porque parecem do meu pai. Perdi muitos sapatos, porque até o pé emagreceu e nem com palmilhas os consigo usar. Não tenho paciência para ir às compras porque ainda não me habituei ao meu corpo e não sei o que raio me fica bem ou não.
Antes sabia o que esconder, agora não sei o que valorizar. Não sei o que posso ou não vestir, não me sinto magra e a única certeza é a de que para não voltar ao antes, tenho que ter em mente uma quantidade de regras a aplicar durante o resto da vida.
É que a minha relação com a comida nunca foi saudável. Comia porque estava feliz e ia comemorar. Comia porque estava triste e merecia. Comia porque sim, porque não e sempre gostei de comer. Não me vou alongar em explicações sobre como cheguei ao ponto de pesar 90 quilos, porque houve vários factores que influenciaram esse exagero. A verdade é que não tinha complexos, nunca tive problemas com o meu corpo, nunca me achei feia e agora dou por mim com mais inseguranças, mais defeitos, mais insatisfações relativamente a mim mesma e ao meu invólucro. Mesmo sabendo que os outros me tratam de um modo diferente porque emagreci.


E sim, as calças da direita são mesmo minhas.
Estavam apertadíssimas em Fevereiro. Passei do 48 (!) para o 38/40.

Não me entendam mal, eu adoro estar mais magra, sentar-me e poder cruzar a perna nas mesas mais baixas, ocupar menos espaço no sofá, no carro, na cama. Adoro sentir ossos onde não sabia que existiam, magoar-me neles, não ter que temer que se vejam os pneus quando estou sentada. Adoro comprar casacos tamanho S, poder mostrar os joelhos à vontade e não detestar mostrar os braços. Adoro ter menos corpo entre mim e as pessoas que abraço. Adoro não ter ficado flácida nem com peles penduradas. Adoro estar mais saudável.
Sabem o que é estranho? Faltarem apenas quatro quilinhos para o meu peso ideal e eu ter quase a certeza de que me vou sentir igual com 64 ou 65 quilos. Acho que quem pensa como gorda durante um certo tempo, pensa como gorda o resto da vida.
Por tudo isto, aconselho vivamente a que processos de emagrecimento - mesmo como o meu, que não é nem parecido com um Biggest Loser - sejam devidamente acompanhados por um psicólogo. Porque a linha que separa a sanidade dos distúrbios alimentares é muito ténue, quase transparente.

18 comentários:

mariana costa veludo disse...

Antes demais parabéns !
Sim porque a tua força de vontade foi o principal. Agora é descobrir todo um corpo novo, descobrir o que mais gostas e menos gostas. Usar aquelas coisas que antes não gostavas de ver.
Se precisares de alguma ajuda, dicas não me importo de ajudar !

Estás gira :D
upa lá de reconfortar esse psicológico.
upa lá de descobrir o teu "novo" eu exterior !

beijinho

Miss Pink disse...

Pois..estás mesmo muito melhor..Adorei o teu post, és uma menina de muita coragem. Podias ter-te confortado à situação, mas não o fizeste. Parabéns Ana =)
Beijinho

Joaninha.porto disse...

WoowoOWoooo! PARABÉNS Ana, muitos parabéns :) estás linda! :))) aliaste a boa alimentação a que tipo de exercício físico? Beijoca jeitosa :)

M.I. disse...

Estás fantástica! E de parabéns pela tamanha força de vontade :)

Identifiquei-me tanto com este post. Espero daqui a uns mesinhos poder dizer que atingi os meus objectivos.

Se passares lá pelo blog acho que vais ter uma surpresa.


beijinho

(ando desaparecida dos comentários mas tenho lido tudo tudo o que escreves ;) )

Malas e Sapatitos disse...

Muitos parabéns pelo que conseguiste e muita força para que consigas sentir-te sempre equilibrada. Entendo-te muito bem. Não tenho tanto jeito para escrever como tu, mas acho que é das coisas mais difíceis porque um alcoolico pode passar sem beber, um drogado sem drogas porque o organismo não precisa disso para sobreviver. Mas quem gosta de comer não pode não comer e tem de estar sempre a tomar decisões. Acho que também me entendes...

menina lamparina disse...

Obrigada, Mariana!!

Nem de propósito: sabes que há dias estava a conduzir e pensava neste enorme problema que está a ser conseguir ir às compras e lembrei-me que deveria recorrer aos teus serviços? É que sempre fui feliz nos shoppings - mesmo com as minhas voluptuosidades loucas - e agora fico impaciente.
Tento experimentar coisas diferentes e não gosto de me ver com nada. Então ando numa de calças de ganga e camisas... e não passo disto. É triste.

Domingo fui às compras cheia de ganas e nem soutiens consegui comprar!! Já não sei o meu tamanho!! Ontem comprei uma t-shirt M na Stradivarius e fica-me enorme... Temos que pensar nisto a sério! :)*

Miss Pink, obrigada... não sei se o resultado teria sido o mesmo se não estivesse presente o peso da responsabilidade do trabalho, mas acredita que foi preciso alguma coragem. Não é a coisinha mais divertida e fácil do mundo... :)*

Obrigada, Joaninha! :)* Esta foi a primeira vez que fiz dieta "a seco", sem comprimidos nem coisas do género. À alimentação aliei a endermologia e tratamentos como o TRIM II. Não pude começar logo a fazer exercício físico porque o meu corpo é uma máquina do caraças e fica logo todo musculado (tipo homem, com coxas salientes, tás a ver?). Só agora vou começar a tonificar com uma coisinha leve, porque sou super preguiçosa e só gosto mesmo de natação e de equitação. :)*

menina lamparina disse...

M.I., obrigada! :)* Também estás nesta luta horrorosa? eheheh Vou já passar pelo teu blog para saber o que se passa! :D

(Também ando desaparecida dos comentários nos blogues todos, que aulas, trabalho e vida pessoal é muito para a minha pessoa... mas passo por lá!)

Beijinho*

menina lamparina disse...

Obrigada, Malas e Sapatitos! Entendo perfeitamente o que dizes e acho que é mesmo complicado mudar o prisma e passar a ver a comida como alimento e não apenas como um prazer... mas também acredito que depois de assimilado um novo conceito e um novo estilo de vida, é muito difícil andar para trás. Nem que seja porque o medo de voltar ao antes é ENORME!

Beijinho :)*

mariana costa veludo disse...

No que quiseres ajudar-te-ei !
Confesso que a minha experiência ainda passa por aquilo que fiz nas aulas e em pequenos conselhos à melhor amiga, ao namorado, à sogrinha, a uns amigos. Mas vontade para mais e mais há sempre e se quiseres estás à vontade.
Por vezes acha-se que o ser "magra" leva a que seja mais fácil encontrar roupinhas, mas nem sempre é assim, muito pelo contrário. E agora lá está, tens todo um "pequeno grande mundo novo" para explorar.

beijinho

menina lamparina disse...

Oh pah tão querida esta Mariana! Obrigada mesmo. Parecia fácil vestir-me mais magra, parecia o paraíso renovar o guarda-roupa... lol afinal não é bem como imaginei! Quando as finanças estiverem em altas, peço-te para me ajudares nessa tarefa!

Beijinho :)*

Sandra Mendes disse...

Surpreendente...Parabéns Ana:)

menina lamparina disse...

Obrigada, Sandra! :)*

lana disse...

Sempre te achei uma miúda muito gira, cheia de confiança e sobretudo inteligente!!!
Estás de parabéns por tudo o que conseguiste!!!
Eu sei que é preciso muita coragem e força de vontade para conseguir tal resultado!!!
O facto de estares à espera de te sentires de outra maneira, vai passar com o tempo!! É tudo um hábito e acredita estás muito gira!!!!!

P.S - Sempre tive a certeza que o Acabou-se a papa doce me soava familiar......

Beijinhos e tenho de ir beber um café contigo, para me contares este pequeno "milagre"!!!

menina lamparina disse...

Eh laaaah! Uma leitora de Pombal?? ahahahah agora estou tão tímida como curiosa!! Vamos tomar café, vamos! Estou à espera de contacto! :D Não demores, por favor!!!

Obrigada pelos parabéns e pelos elogios. Foi preciso coragem principalmente para dar a cara...

Mas vamos mas é tomar café que eu prometo contar tudo assim que souber quem é a minha conterrânea!!!

Beijinho*

Maria disse...

estás absolutamente fantástica e esses quilos a menos ficam-te super bem!

há uns anos atrás tb emagreci 20 kilos (mas já recuperei metade!) por isso percebo exatamente o que tu queres dizer: adorava sentir ossinhos que nunca tinha percebido que existiam, adorava poder comprar roupa sem me preocupar com o tamanho, adorava o fato de n ter de encolher a barriga, de ter ficado quase sem celulite, etc etc... mas não era mais feliz, na essencia, do que costumava ser com 20 kilos a mais. Quando ja estava bem, achava que precisava de perder mais 5-10 kilos, estava constante a pensar no que podia e n podia comer (como quando tinha os 20 kilos), e por aí a fora.

Mas estás maravilhosa e isso é de enaltecer :-) Agora... vais partilhar as dicas?! lol bjo**

Tamborim Zim disse...

Muitos Parabéns Lamparina! É maravilhoso emagrecer com saúde - se se quem for de curvar mantiver algumas, tanto melhor:) Cheguei a perder uns 12 kgs, q por total falta de cuidado tenho vindo a ganhar de novo nos últimos anos, mas creio que estou no caminho para outra relação com os alimentos até porque, por uma motivação estritamente ética, tornei-me vegatariana (ovo-lacto ainda), e a evoluir para o estado vegan.
Estás muito bonita, agora é pensares que essa é a tua nova referência estética e funcional. Frui essa beleza e essa saúde, e diverte-te!
Beijinhos e re-parabéns.

menina lamparina disse...

Obrigada, Maria*
Percebes mesmo o que disse :D
E sim, vou partilhar umas dicas, fica a promessa! :)*

Obrigada, Tamborim Zim! :)
Vou tentar aproveitar isto sem dramas... espero habituar-me e não entrar em nóias.

Quanto ao vegetarianismo, adoro restaurantes vegan... e já te falei sobre o assunto no post sobre a malonga. :D

Beijinhos*

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Parabéns! :)
É preciso mesmo muita força de vontade.
Eu precisava de perder no mínimo 10kg.