terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sabe bem tudo tão certo.

Natalie Portman
Passei o dia à espera do momento em que íamos estar juntos. Atravessei as horas com pressa, com a urgência de quem sabe que há coisas bem mais importantes que o Cavaco Silva na terrinha. Nunca mais chegava aquele toque da campainha lá de casa, com o abraço e a segurança de que precisava. Nem todos os dias emano luz, nem todos os dias ando saltitante. Ultimamente, sem ter grandes razões para isso, ando num rame-rame que me incomoda. E ele faz-me acreditar que me vou deixar de parvoíces. É de tal forma companheirão que me dá a mão nos medos e a verdade é que, quando os manifesta, parecem-me passageiros e infundados. E sinto-me alicerçada. O ponto alto do meu dia foi adormecer nos braços daquele que se transformou, mais que no "homem da minha vida", no homem na minha vida.

2 comentários: