quinta-feira, 9 de outubro de 2014

um post totalmente random

Tenho uma amiga que é uma bombshell. Um mulherão. Daquelas em que é impossível não reparar quando entra num lugar. Ela sabe disso e até faz uso de tudo o que a torna vistosa: tem um cabelão negro, uns olhos lindos, uma boca grande, um rosto muito característico, forte e marcante. É alta, matulona, enfim, toda ela uma visão. E apesar de ser uma miúda, já se apercebeu da sua presença e do impacto que isso tem nos outros, pelo que em conversa, chegou a dizer-me que pessoas como ela não são constantemente abordadas pelo sexo oposto, ao contrário do que seria óbvio. As mulheres poderosas [ não consigo usar esta palavra sem me lembrar disto ] intimidam. Normalmente, despertam falta de confiança em quem gostaria de meter conversa, por receio de levar uma tampa, por medo de que ela seja areia demais para o seu camião ou simplesmente porque alcançam, perante o olhar alheio, um estatuto de superioridade que as torna inatingíveis. Segundo ela, é mais comum que uma mulher mais apagada, menos bonita e que nem tenha pinta nenhuma seja abordada mais frequentemente, porque há muito mais homens pouco confiantes que tentam a sua sorte com alguém que não cause receios.

Isto fez-me pensar, porque realmente - e isto vai soar muita mal, perdoem-me - vejo mais gajas pouco inteligentes, que não conseguem manter uma conversa minimamente interessante, muitas delas mal feitas, a maioria sem noções nenhumas do que é vestir-se decentemente ou de como se apresentar em público, quase todas sem saber estar, sem educação e completamente invisíveis, com sucesso no amor. Talvez também tenham os padrões menos elevados, claro. Quando a auto-estima está a níveis abaixo de -320, uma pessoa também não se faz esquisita e o que vem à rede é peixe, certo? Pois.
Surpreendentemente, constatei que as mulheres mais fascinantes que conheço são menos bem-sucedidas no amor. As mais educadas, mais bonitas, mais independentes, mais seguras, com mais classe e mais inteligentes são aquelas que demoram horrores até encontrar alguém digno de se tornar no objecto da sua paixão... São as que recebem menos convites para jantar. São as que atravessam anos sem precisar de viver um romance... porque também não estão para aturar qualquer badameco.

Quanto a mim, nem sei onde me posicionar. Acho que sou um case study. A minha vida dava um reality show. E a minha vida amorosa é de tal modo frenética e animada que dá ares de SATC meets Keeping Up With the Kardashians.

Kim Kardashian

6 comentários:

Sofia disse...

Oh pá! Disseste muita coisa que concordo. Tenho uma amiga assim. Maior mulherão...mas eu no caso dela acho que tem azar no sentido, que toda a merda se lhe chega ao pé. Literalmente. Depois, quer uma vida a dois, uma história de amor e, não consegue. Porque todos os que se aproximam tem um neurónio e já é muito. E pronto, vive ali com a o relógio biológico a mil, a chegar aos 30 e nada... Porque não há um decente que se aproxime. E isso vejo, por ser como dizes, talvez, o "tal" não se aproxima por falta de confiança.. Porque vai pensar "fogo ela é linda de morrer, não me vai dar uma única hipótese"...

Susana Correia Dos Santos disse...

eu já me perdi no contexto... então tu não estavas noiva? Até faziam aniversário no dia 18 como eu e sr fofinho...

Lady Lamp disse...

Oi Susana*

Estive noiva e deixei de estar no ano passado. :) Um dia posto qualquer coisa sobre o assunto, já que tantas leitoras me perguntam sobre isso...

Beijinho*

Miss Shiver disse...

É sim um facto. Os homens gostam de miúdas burras, tontinhas, que não esperem muito deles...

Anónimo disse...

Eu penso que há duas coisas numa mulher que assustam já para não dizer que afastam os homens: mulheres inteligentes e independentes e mulheres muito bonitas. Eu também pensava assim (que era muita areia para o camião) em relação à pessoa com quem estou, e ele pensava igual, e existe uma expressão que um amigo dele lhe repetia que eu penso fazer todo o sentido: "se a areia é muita divides a carga e vais lá por duas vezes" isto tudo para dizer que temos sempre que
tentar no nosso caso valeu bem a pena ele ter tentado (e eu teracreditado) :)

Peppy Miller disse...

Sim, mulheres assim intimidam e sei bem o que isso é..