quinta-feira, 24 de julho de 2014

24.07.2014

Há dez anos tinha 19. Parece que foi ontem. Tinha 19, menos um que a Mana Lamparina. Estava a repetir o primeiro ano de um curso que odiei e preparava-me para assumir a escrita como vocação. Estava a recuperar de um 18º ano muitíssimo complicado e tinha abandonado os caracóis.
Se hoje pudesse falar com o meu eu de há dez anos, dir-lhe-ia para não ter medo. Aconselharia aquela miúda a arriscar, a voar mais alto, a não recear a perda, que as pessoas que importam são aquelas que carregamos no peito e que nos guardam dentro de si. Dir-lhe-ia quão bonita era, por dentro e por fora. E que não há mal nenhum em brilhar de vez em quando, que não é preciso esconder a nossa luz para não incomodar os cinzentos que nos rodeiam. Pedir-lhe-ia que continuasse a ser uma pessoa humana, íntegra e coerente. Às vezes parece que não ganhamos nada com isso, mas nada paga um sono tranquilo. Se pudesse falar com a Menina Lamparina de há dez anos, dar-lhe-ia dois conselhos: para se apressar nos estudos e para continuar a divertir-se, que isto passa num ápice. Diria para não chorar tanto, para aprender a dizer que não e para não ceder em demasia à preocupação, que o altruísmo em excesso nos faz esquecer de nós e aumenta o oportunismo alheio. Ensinava-lhe que não podemos viver as vidas dos outros nem resolver todos os seus problemas, por mais que lhes queiramos bem.
Se queria voltar atrás? Não. Só não queria ter esta sensação de que estou aqui há mais tempo do que parece... e ainda não fiz nada.

4 comentários:

cinquentinha disse...

Parabéns Menina Lamparina :)

Filipa disse...

Parabéns querida!

Filipa

menina lamparina disse...

Obrigada!!! :)*

Tamborim Zim disse...

Muitos parabéns querida Lamparina, q aniversarias no dia da minha mana �� Feliz ano novo, e nada de deres... o caminho faz se andando, ai esta a demanda p nos �� , e em todas as idades. Beijinhos e abraço grande!!