quarta-feira, 21 de março de 2012

A culpa disto não é nossa.

Jessica Alba

Chateia-me que a maior parte das conversas entre a malta da minha idade sejam mais ou menos isto:


- Olá, tudo bem?
- Tudo na mesma... e contigo?
- Também.
- Ainda não arranjaste nada?
- Nada.
- Pois. Eu também não. 
- Já não sei quantos currículos enviei.
- Imagino. E respostas? Recebeste alguma?
- Nada.

Chateia-me porque tenho a nítida sensação de que estamos a pagar por erros que não cometemos.
Vocês sabem que eu não falo muito da crise por estes lados. Acho que não vale a pena. Que não tenho muito a acrescentar ao que se diz por aí. Principalmente, acho que a minha visão de tudo isto não seria muito bem aceite nem plenamente compreendida. Mas ando saturada desta conversa. Mesmo. Merecemos melhor que isto.

6 comentários:

Beadelicious disse...

Tão verdade... =(

Anónimo disse...

Pffff...concordo plenamente, só me apetece sair à rua com isto escrito na testa e passar logo a outro tipo de conversa: "SIM CONTINUO DESEMPREGADA. NÃO, NÃO QUERO FALAR SOBRE ISSO!!"

Ana Bauer disse...

É certo, mas ainda há pessoas que acham duvidoso como é que não se consegue arranjar trabalho?!? Eu respondo: "É simples, troque a sua vida pela minha e vai ver o que é doce"

Tamborim Zim disse...

Muito triste. Um grande movimento cívico era necessário: penalizar o que e quem nos penaliza. Não comprando, não usando, enfim. Assistirmos de camarote só prolonga estas tristes teatralidades. Contra mim falo.

Imperatriz Sissi disse...

Spot on. Há alturas em que falar só vai aumentar a espiral de medo e desânimo. Chegámos ao fundo do poço, agora é trepar de volta. Lamentos para quê?

menina lamparina disse...

É cá uma seca gramar com os problemas que não criámos... :/

Beijinhos*