segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Eu sei que há vestidos para comentar por causa dos Grammy Awards...

Whitney Houston
...mas não me apetece falar de vestidos. Sim, ando chateada da minha vida e não estou para aí virada. Sei que bloggers queridas não vão deixar de o fazer, por isso, prefiro comentá-los nos vossos blogs e gozar com os péssimos e elogiar os maravilhosos.
Sobre a red carpet, deixem-me apenas aplaudir a Adele. Eu ia jurar que não era possível ser mais bonita.
Whitney. A sua ausência. Soube na madrugada de Sábado. O que dizer quando já se disse tudo? Um mar de vídeos no Facebook, as piadas de mau gosto de sempre, os hiperbólicos endeusamentos habituais. Vi o Bodyguard com os meus pais quando ainda era mesmo menina. O nó na garganta fez-me abandonar a sala no final. A minha mãe foi ter comigo ao quarto de banho e encontrou-me a chorar. Tinha sido a primeira vez que um filme com pessoas a sério, sem leões órfãos ou princesas ingénuas, me tocava. Cantei essa banda sonora vezes sem conta. Queria ir ao Mini Chuva de Estrelas lembram-se disto? God, I'm old! fazê-lo. E esse filme marcou-me, acompanhou-me toda a vida. Tal como aquela voz brutal e aquelas músicas tão lamechas quanto perfeitas, para uma sentimentalona como eu. Acho-a linda. Quem me dera ter tanto talento. E que pena tenho eu quando estas pessoas que não temos como humanas nos mostram que isso não chega. Que a ideia que temos acerca do sucesso não chega, afinal. Que o dinheiro não chega. Acompanhei a decadência e mantive em silêncio a esperança de uma recuperação. Queria que ela voltasse a cantar e a fazer-me cantar músicas novas, numa falhada tentativa de reproduzir as voltinhas, a dança na pauta que habilmente fazia brincando com a voz. Não voltou.

Deixo-vos o que escrevi no Facebook:
«Há pessoas assim. Personagens autênticas. Uma voz única, um talento brilhante, um rosto tão bonito como cada nota difícil de alcançar. Há vidas assim, em que o talento não chega e se desperdiça. Desde miúda que o "I will always love you" me comove. Sim, sou uma pirosa e não vejo o Bodyguard sem chorar baba e ranho. "I wanna dance with somebody", "I'm every woman", "The greatest love of all"... Grande legado. Partiu cedo demais. Não vos deixo um vídeo porque isso é o que toda a gente faz. Fica uma expressão bonita da cantora mais galardoada do mundo.»

5 comentários:

Isaa disse...

Adorei o post , e sim a adele estava linda :D

já agora podias-me ajudar a ganhar um concurso ? é só ir neste link e votar na foto1 (Isabel ) é a primeira , http://thexperfectxdrug.blogspot.com/2012/02/votacao-sorteio-dia-dos-namorados-com-o.html

obrigada :)

Maria disse...

Nem digas nada... acho que já nem tenho mãos para segurar o coração quando alguém me diz: sabes quem morreu?! :(

menina lamparina disse...

Oi Isaa* Já lá vou! :D Boa sorte. :)*

É mesmo, Maria. :(

Beijinhos*

Ana FVP disse...

A Whitney é do "nosso" tempo! É a gira das revistas. É a do Bodyguard. É a diva dos anos 80 (acima de qualquer Maddona)... é da nossa juventuda...

menina lamparina disse...

Completamente, Ana FVP. Estamos a perder tanta gente brutal em tão pouco tempo... :/