quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Na minha vida e no meu sofá.

Amanda Seyfried and Justin Timberlake
Podia ser só uma presença ao meu lado, daquelas frias, quase etéreas, que não aquecem nem arrefecem. Há gente que nos é indiferente, que não notamos nem ouvimos. Com outras pessoas, precisamos de falar para evitar o desconforto. Não interessa o que se diz, só interessa que sejam ditas coisas para preencher o espaço vazio do ensurdecedor silêncio. Depois há aquelas pessoas cuja presença nos incomoda. Mas do que eu gosto mesmo é de sentir o aconchego de ter o corpo dele ao meu lado enquanto o ouço respirar, descansado, vivo, presente. Na minha vida e no meu sofá.
A televisão na Sic Mulher, que agora é ele que se delicia com o MasterChef Australia. Depois, ele desenha enquanto eu choro com o Extreme Make Over - the home edition. E mima-me e gosta de mim mesmo quando eu não sou a jovem enérgica que está sempre disposta a sair de casa. Está presente. Falamos tanto, falamos tanto que eu sei que estou onde devo estar. "Escolhe um homem com quem converses", disse-me ela. Eu não mais esqueci, porque ela tem razão. Quando formos velhinhos, é a conversa que nos vai safar do mofo. E sei que ele vai adormecer com um sorriso, o mesmo com que eu acordo todos os dias. Porque ele diz que "a coisa mais certa que eu tenho é que amanhã sei que te amo. E depois de amanhã também, mas não digas a ninguém".
E é este corpo a que já me habituei que quero ter ao meu lado até depois de amanhã. Já decorei os sinais, os poros, o desenho das sobrancelhas e os trejeitos dos lábios quando a timidez lhe espreita. Já lhe adivinho a tristeza, a fúria, a felicidade, a satisfação, a dúvida e a certeza. Já lhe leio a alma no olhar e não quero que ele saia daqui. E o mais giro disto tudo é ele não fazer a mínima ideia de como gosto que ele possa adormecer encostado a mim.

4 comentários:

João Gante disse...

Pelos vistos também já me adivinhas o derretimento incontrolável, Honey. Amo-te.

menina lamparina disse...

:)*

Isso passa. Com um "idem". ahahahah

Também te. :*

mariana costa veludo disse...

Lindo. Lindo. Lindo.
clap clap.
Foi assim das coisas mais belas e ternurentas que li até hoje, não duvides.
É tão bom saber que alguém amam alguém verdadeiramente, genuinamente. Por estar ali, ao lado e até no mais simples, ver televisão, no sofá, se amar, se derreter. Das coisas que mais gosto são o adormecer juntinho, é o corpo a corpo, mão na mão, pele na pele apenas a ver televisão - seja um filme, o MasterCheef, futebol, o Sexo e a Cidade ou até mesmo o CSI - e, já que se tocou em o Sexo e a Cidade, também a Carrie gostava de apreciar pequenos momentos simples mas qu dizem tanto, como o adormecer nos braços do Mister Big !

um beijinho e que esse amor e essa conversa, que acho tão fundamental, estejam sempre presentes.

menina lamparina disse...

Ohh Mariana, gostei tanto de ler o teu comentário... obrigada!

As coisas simples, os pormenores, são o que devemos sorver com mais avidez. Porque são eles que nos constroem e nos preenchem. A mim, fazem-me feliz. Como a Carrie ahahahah

Obrigada pelas palavras queridas - back to u! :)*

Beijinho*