sexta-feira, 18 de março de 2011

Ainda não chorei.

Kate Moss
Teve que ser. Ele andava chato. Rebelde, ressequido e sem dias bons. O meu cabelo precisava de uma boa (mínima, pelamordeDeus) tesourada. Enchi-me de coragem e lá fui eu pôr-me nas mãos da cabeleireira, avisando de cinco em cinco segundos que Não é para cortar muito, só as pontinhas estragadas. Olhe, não corte demais, está bem? Veja lá que eu não quero tirar muito. Já não está bom? Não deve haver cliente mais chata que eu... realço a santa paciência que elas têm para mim. Nunca se passam e melhor ainda: fazem sempre exactamente o que eu quero. Desta vez, não chorei nem fiz fitas, mas tinha que despejar o meu medo em algum lado. Acho que está curtíssimo. Faltam-lhe cerca de dois centímetros e eu noto muito. Pronto, como cortei em quarto crescente, pode ser que daqui a um mês esteja enorme. Hope so.

4 comentários:

Li disse...

ai o meu está a precisar tanto tanto.. já não o aguento sem ser apanhado, está muito ressequido, mas tenho tanta pena dos 2 ou 3 cm q me vão cortar que ando a adiar a tesourada o mais que posso... ehehe

AnaRendallTomaz disse...

Custa muito, mas mais vale cortar agora 2 cm que vê-lo crescer tipo espiga de milho e ter que ver metade caída no chão do cabeleireiro... mas isto é só o lado racional a falar. No fundo, estou a controlar-me para não soltar uma lagrimita. LOL

PinkWorld disse...

eheheh, cortar o cabelo é sempre aquela coisa pior que ir ao dentista :D Mas quando tem de ser, tem de ser :)

menina lamparina disse...

Estou a pensar deixar de ir ao cabeleireiro. Juro. Começo a cortá-lo sozinha - já o fiz várias vezes e cheira-me que vou voltar a isso. Odeio esta sensação de "faltam-me aqui dois centímetros".