sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

smoke and mirrors

Monica e Penelope Cruz
É que às vezes não é simples como manda o bom senso que nos rege. Há alturas em que é mesmo difícil reconhecer a ténue linha que separa o interesse da intromissão. Nem sempre o contraste torna nítida a diferença e então não percebemos, a olho nu e sem reflexão, o que fazer. Se devemos agir ou não. Quando avançar. Também o timing deve ser preciso, de uma exactidão irrepreensível. Um pouco antes pode ser precipitado, um pouco depois pode ser tarde demais. Há alturas em que só se pode seguir o coração, a intuição, o instinto mais básico que nos manda ir. Confiar cegamente em nós próprios é, talvez, o melhor a fazer em momentos de indecisão.

Sem comentários: