sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Já precisamos de galochas e umbrellas.

Rihanna
Calcei as minhas botas pela primeira vez na segunda-feira e quando me vi ao espelho, houve um ataque de riso que me impediu de sair de casa naqueles preparos. Cheguei ao trabalho e eis que estava toda a gente já com sapatinho adaptado às condições climatéricas... excepto eu, que estava de sabrininha navy, ao melhor estilo silly season. Posto isto, decidi calçar as minhas botas na noite em que fui jantar com senhor meu namorado. Além de ser preciso uma boa dose de aulas de yoga para me adaptar ao estado de equilíbrio constante que as estruturas de madeira que tenho debaixo dos pés exigem, verifiquei com agrado que eles (os pés) não tinham alargado dois centímetros. Continuo com o pé do mesmo tamanho! É que com tanta havaiana, sandália e blá blá blá, ia mesmo jurar que a largura do meu pé tinha sido aumentada pelo excesso de conforto. Bom, posto isto, vem o resto... a chuva que decidiu dar ares da sua (des)graça, tornando o piso escorregadio e impossível de andar com alguma pose. A humidade com que este tempo banha a minha farta cabeleira, tornando-a numa juba indomável e frisada.
É tempo de apanhados giros, botas giras, t-shirts e cardigans leves, que o frio ainda não se fez sentir - só à noite. É tempo de arriscar nuns collants, de misturar e aproveitar a difícil tarefa de vestir algo apropriado à meia estação. Hoje experimentei botas camel de cano alto com jeans por dentro, t-shirt nude e colete de malha grossa, com nós tipo oito, azul escuro. Ficou cute com o cinto fino em animal print por cima. Acessórios dourados e pimbas - até parece que me é normal e agradável escolher roupa com este tempinho gostoso. E trabalhar assim?! E fazer exteriores nestas condições?!
Decidi que pela primeira vez na minha vida de adulta, vou comprar umas galochas. Estilo Hunter. Castanhas. Vi umas giras na Lanidor... podem espreitar aqui.

5 comentários:

Rute disse...

Que giro.....temos os mesmo gostos...e as galochas de lá são o máximo...ontem vi que já tem novas..umas com atilhos mto giras tb, mas mais XARAAAM com cores garridas!!
:)
I´m following U
B'ju
http://myfashionaffairs.blogspot.com

Anónimo disse...

Correcção - diz-se condições climáticas, a palavra climatérica não tem nada a ver o estado do tempo.

menina lamparina disse...

Olá Rute, bem-vinda! Quando não estiver no trabalho, sigo-te e ponho-te aqui nesta lista ao lado...

Já vi essas galochas, mas prefiro as croco. São mesmo, mesmo giras :D

Obrigada por apareceres, Beiju*

menina lamparina disse...

Sr. Anónimo, muito grata pelo reparo.
Há lapsos que, mesmo aqueles que dedilham o português como quem brinca com as cordas de uma guitarra, por vezes também comete. Foi o caso.

Aproveitando a deixa, fiquem com a explicação do significado de cada um dos termos, para que ninguém volte a dar similar facada naquela que sendo a minha Língua Portuguesa, é também a minha Pátria Amada.

"Climatérica", como ignorantemente escrevi, é a forma feminina do adjectivo "climactérico". No dicionário lê-se: "Diz-se das épocas da vida em que se verificam mudanças consideráveis no organismo.".
Contudo, e como o Português é uma língua matreira como o caraças, e devido à Dupla grafia pelo Acordo Ortográfico de 1990, climatérico tornou-se numa palavra - ainda que adaptada do francês climatérique - que significa "relativo ao clima; climático". Trata-se de um adjectivo que se refere ao... clima. Que era exactamente o que queria dizer.

Bom, se alguém cujos conhecimentos linguísticos se revelem superiores aos meus, me quiser ajudar, força. Esclareçam-me por favor.

Cumprimentos.

menina lamparina disse...

(*) Onde se lê "comete", leia-se "cometem" - acontece quando os dedos não acompanham a rapidez do raciocínio.