quinta-feira, 5 de agosto de 2010

creme pelos ares

Uma pessoa tem todo o cuidado do mundo com o seu hidratante preferido, usa-o com coerência, aplica-o como deve de ser, porque se não fizer o efeito esperado a culpa é da má utilização, sente-se cansada mas não deixa de dar de papar à pele - ai meu Deus vamos ver se é este ano que não fico com o nariz estilo chão de peixaria, cheio de escamas ah ah ah.
Depois acorda mal acordada, com o sono mal dormido, está a pôr-se bela para mais um dia de labuta e parece que tem as mãos rotas - Superdefense por todo o lado. Cabelo, roupa, chão, paredes, vidro da janela, sapatos que estavam no chão. Ficou tudo bem hidratado e com protecção solar. Voou creme em câmara lenta, como nos filmes. Nas paredes, manchas amareladas (o produto deve ter reagido com a tinta, mas parece mesmo que cuspi um bocado de bifana contra a parede). Fui buscar um salazar, aquele utensílio de cozinha que serve para rapar a massa dos bolos nas taças, para tentar recuperar pelo menos algum do produto. Do que não estava em contacto com o chão, claro.

2 comentários:

M.I. disse...

ficas chateada se me tornar repetitiva?

e caindo em cliché "tomei a liberdade" de te tratar por tu espero que nao te importes

menina lamparina disse...

Sente-te à vontade, não fico nada chateada e não há qualquer problema em tratares-me por "tu".

Beijinhos*