quinta-feira, 26 de junho de 2014

Ai que raiva!

Cara Delevingne
Preciso de ventilar. De dizer como odeio profundamente pessoas burras. Mas tão burras que não chega dizer que são ignorantes. Há pouca gente a conseguir provocar-me tamanho asco e eu preciso de explicar as razões para que isto seja assim. 
Imaginem um gajo feio. 
Agora imaginem um gajo feio e mal feito. 
Agora imaginem um gajo feio, mal feito e com os dentinhos todos afastados. 
Agora imaginem um gajo feio, mal feito, com os dentinhos todos afastados e com o couro cabeludo a afirmar-se por entre as micro madeixas mantidas em pé com a ajuda de gel. 
Agora imaginem um gajo feio, mal feito, com os dentinhos todos afastados e com o couro cabeludo a afirmar-se por entre as micro madeixas mantidas em pé com a ajuda de gel, de blazer e botas texanas.
Agora imaginem um gajo feio, mal feito, com os dentinhos todos afastados e com o couro cabeludo a afirmar-se por entre as micro madeixas mantidas em pé com a ajuda de gel, de blazer e botas texanas com a mania que é bom!
É isto: uma pessoa que além de não se poder gabar do aspecto exterior, não tem nada lá dentro, mas que se acha o máximo. Tipo chico-esperto meets macho latino sensualão. Só que não. 
E como se tudo isto não bastasse, a pessoa ainda tem graves dificuldades na conjugação de verbos na sua língua materna. E uma falta de vocabulário que me faz corar. Não sendo mais que um cagalhoto - adoro este termo, é refinado! - que decidiu tentar a sua sorte numa aldeia qualquer deste Portugal, ainda se atreve a acreditar que é mais astuto que os outros. Deve (do verbo dever) este planeta e mais algum, mas não perde a pose de pavão e os pseudo ares de empresário de sucesso (not!). E ainda tem a falta de humildade e o descaramento de querer prejudicar quem lhe deu a mão. Acho que se o vir hoje, lhe furo os olhos.

1 comentário:

marlene disse...

esqueceste de acrescentar barrigudo...

bj