quarta-feira, 18 de setembro de 2013

A vida muda num instante.

Milou Sluis
Que a vida muda num instante, parece cliché. E o que é comum a todos os clichés? Serem verdades. Só que em alguns, colocamos o peso depreciativo ou a significância negativa. Sabemos que a vida muda num instante e quando o dizemos, imaginamos sempre que podemos morrer atropelados à porta de casa. Ou que podemos sofrer a dor da perda de alguém que amamos num desastre qualquer. Quando pensamos que a vida muda num instante, projectamos sempre algo de catastrófico: o desemprego, uma doença, dor. Mas se o cliché é uma verdade batida, então também tem que ser absoluta, que não há verdades relativas nos clichés. Ou se há, eu não as reconheço nem acredito nelas e são mentiras, logo, não são um cliché. Assim sendo, enquanto verdade absoluta e irrefutável, podíamos começar a deixar de vê-lo e percepcioná-lo apenas através da lente do negativismo e compreender que a vida muda num instante também para melhor. A vida de alguém pode mudar num instante quando ganha o Euromilhões. Quando engravida. Quando se vê nos olhos do outro e ama. Quando faz um amigo. Quando encontra um emprego. Quando decide, por acaso, fazer uma viagem e no país que não lhe despertava interesse algum, encontra o amor da sua vida. A vida não muda num instante só para piorar. Porque não há mal que sempre dure...

2 comentários:

Ana Catarina disse...

Verdade minha querida! O Sol aparece sempre depois de uma tempestade! :)

Mariana B. disse...

Costumo dizer que não pode correr tudo mal! :)