terça-feira, 13 de novembro de 2012

detesto...

Amy Adams
...aquelas pessoas que vão atravessando a vida e deixando amigos para trás. Por outras palavras, pessoas que fazem e desfazem amizades consoante a sua conveniência. Quando o amigo deixa de ser necessário ou útil, é descartado e substituído por outro que lhe dá o que precisa - pode ser atenção, aprovação, não interessa. Faz-me confusão que se usem os outros conforme vai dando jeito. Vendo bem as coisas, nunca lhes retribuem a amizade e acaba por ser uma relação em que um suga o outro, abastece-se e vai embora. Cortam tão radicalmente, magoam tanto quem deixam para trás e parecem nem reparar. Não compreendo como se pode tratar alguém como descartável, julgando que ninguém repara. E ainda têm a lata de exigir consideração. Acham normais os afastamentos e aceitáveis as sucessivas substituições. Como é possível?

5 comentários:

lena disse...

Essas pessoas não são amigas de ninguém nem tem amigos verdadeiros. Na vida deles tudo não passa de interesses. Pessoalmente acho isso uma futilidade. Para mim ter amigos sinceros e verdadeiros é muito importante e adoro ter amigos que ainda são do tempo de escola.
Beijinhos grandes.

S disse...

É o que há mais por aí! Infelizmente...
Eu chamo-lhes vampiros :)
Bj S

Vicky disse...

Muitas dessas situações acontecem quando começam uma relação

Palco do tempo disse...

isso tambem me faz muita impressão, é sinonimo que não eram verdadeiros amigos

Fiona disse...

Também não consigo compreender essas pessoas... Mas se deixam pessoas para trás de uma forma tão fácil é porque, de certeza, nunca as consideraram como verdadeiros amigos...