segunda-feira, 1 de outubro de 2012

De como a vida pode ser breve.

Ela foi uma das primeiras pessoas que conheci quando cheguei à Escola Secundária. Fomos da mesma turma. Ela e a Carla foram calorosas e muito atenciosas e não me deixavam sozinha nos intervalos. Quis a vida que nos afastássemos. De repente, já não me lembro como, passava mais tempo com os amigos que duram até aos dias de hoje. Mas ela, tal como a Carla, continuaram a ser as mesmas. Sempre simpáticas, sempre educadas. Nunca me apontaram o dedo por ser betinha, nunca me viraram a cara só para não me cumprimentar, como algumas miúdas possuídas por um qualquer sentimento de rivalidade ainda fazem. Não éramos íntimas, mas ia sabendo dela, que o facebook tem destas vantagens. Soube na sexta-feira que tinha sido vítima de um acidente estúpido e que não tinha resistido. Sabem, estas tragédias fazem mais mossa quando nos são próximas. Não quis ir ao funeral porque não iria consolar ninguém - não conheço a família nem sou próxima de grandes amigas suas. No entanto, fiquei chocada com a horrível notícia e peço a Deus que abrace cada um dos que sofrem profundamente com esta perda e que inunde aqueles corações de uma paz imensa e de muita força. A saudade não vai embora, mas a dor pode ser amenizada pelo passar do tempo.

4 comentários:

Fiona disse...

Bolas, que situação... :S Tantos acidentes assim estúpidos que acontecem e que levam deste mundo tantas pessoas... Abraço apertado para ti...

ML disse...

Muitas vezes são estas coisas que "fazem abanar" as consci~encias e pensar que devemos MESMO aproveitar cada minuto.

Ninguém está preparado para notícias destas, imagino a dor de amigos e familia...

Os meus sentimentos. :(

Maria disse...

cada vez penso mais nisso, na imprevisibilidade da vida e tenho tentado ser mais feliz mesmo quando as coisas não correm pelo melhor... é um golpe muito duro quando acontece com alguém que de alguma forma nos tocou ou nos toca...

Tamborim Zim disse...

Deplorável a quantidade de acidentes, a brutalidade e a tragédia. Precisa-se de uma sensibilização e massa anti-criminalidade nas estradas. Lamento Lamparina, o voto q fazes é o q costumo tb fazer. Beijinhos mil.