quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A pedido de uma leitora fofinha

e por falar em Nutella, lembrei-me de uma promessa que fiz: escrever um post com dicas sobre o que vestir quando estamos acima do peso ideal. Sobre isto poderia até escrever um livro inteiro (quem sabe, um dia?) já que a minha experiência pessoal me atribuiu um doutoramento honoris causa no assunto. Para quem não se lembra ou não está a par do caso, deixo aqui o link para ficarem a par do meu old body (#curvalicious).

A C. pediu e eu vou tentar esquematizar as regras e os truques de que fiz uso ao longo de longos anos para valorizar o que tinha de melhor e disfarçar o que não gostava assim tanto e que não fazia questão nenhuma! de exibir. Para isso, recorri à querida Jessica Simpson, que me proporcionou imagens bastante elucidativas, perfeitos exemplos do que fazer e do que evitar.

A ideia não é enfiar um saco de batatas para esconder o corpo, muito pelo contrário! Temos que pensar em proporções e ter em conta as nossas formas, que cada corpo é um corpo, certo? Saber evidenciar os pontos fortes, como a zona mais estreita do tronco, as pernas torneadas ou o busto bonito, parte de uma apreciação individual. Contudo, diz-me a experiência que regra geral, quanto mais largas forem as roupas escolhidas, maior vai aparentar ser o corpo. Em contrapartida, nada de tecidos coleantes - só servirão para evidenciar todo e cada pneu, fazendo sobressair o volume que queremos dissimular.
A palavra-chave é harmonizar.

Os looks monocromáticos não são muito favorecedores para quem está com excesso de peso, porque tendem a esconder completamente as curvas, tornando a pessoa num só bloco, recto e volumoso. Vale a pena quebrar a silhueta com outra cor, recortes ou um cinto, por exemplo.
Not.
Hot.

Atenção aos braços! É preferível escolher sempre peças com manga (mesmo que apenas até ao cotovelo, claro) que não seja justa. Além de ser mais confortável, funciona melhor do ponto de vista estético.
Not.
Hot.

Cuidado com os decotes, principalmente se o peito é grande. Demasiado reveladores não ficam bonitos, mas uma camisola tapadíssima "enche". Convém ter o pescoço à mostra, mas não as mamocas, if you know what i mean.
Not.
Not.
Hot.

Se a barriguinha é proeminente, esqueçam os vestidos muito curtos, porque tornam o tronco também mais curto e fazem com que pareçamos mais baixas e anafadas. O comprimento ideal é pela altura do joelho.
As saias e os vestidos devem ser em evasé, para não acentuar demasiado a anca. O formato em A tem o condão de atenuar essa zona problemática evidenciando as pernas. As saias mais subidas são a melhor opção.
Not.
Hot.

Destacar os ombros, nas camisolas, camisas, tops e casacos, torna a silhueta mais equilibrada. É que ao salientar a largura dos ombros, parecemos ter a cintura mais fina.
Not.
Hot.

Nada de calças afuniladas ou justíssimas. As calças devem ser escuras (mesmo as de ganga), discretas (sem brilhos nem grandes adornos ou estampados para não chamar a atenção nem aumentar visualmente o volume das pernas) e ser suficientemente subidas para:
a) não mostrar a cuequinha ao sentar;
b) não marcar o corpo;
c) segurar a barriguinha.
Not.
NOT!
Hot.

Cuidado com as riscas e os estampados: as riscas horizontais ampliam, mas as verticais alongam; os estampados muito grandes ampliam, mas os mais miudinhos são aceitáveis.
Not.
Hot.

Também os sapatos devem ser tidos em conta: os saltos tornam-nos mais elegantes e esguias, os botins devem ser usados com collants ou calças no mesmo tom, as tiras no tornozelo ou enfeites no peito do pé tendem a encurtar a perna.
Not.
Not.
Hot.

Há dois grandes trunfos que não podemos esquecer:
a) Qualquer look mais básico pode ser enriquecido com um colar (como a imagem acima ilustra), um lenço, uma mala gira, um cinto, brincos ou pulseiras. A vantagem? Marcam a diferença, enriquecem o outfit e distraem as atenções.
b) No Inverno, parecemos sempre mais "enchouriçadas", mas se o casaco tiver um bom corte, estruturado, cintado e com os ombros bem definidos, minimiza esse efeito.
c) A roupa interior correcta pode fazer milagres. Um soutien que não marque as costas nem faça o horrendo efeito de dupla mama e coloque o peito no sítio certo ou uma spanx que deixa tudo bem acomodado são preciosos investimentos. Ou vocês acreditam mesmo que essas celebridades curvilicious acordam assim esticadinhas e sem pneus pela manhã?







Vêem ali a spanx escondidinha? Ah poizé!


Mas sabem uma coisa? O que está realmente na berra é o velho cliché "sentirmo-nos bem connosco". Com mais ou menos quilos, o ideal é usar tudo o que temos ao nosso alcance, tudo o que a indústria da moda disponibiliza, para sermos todos os dias a melhor versão de nós mesmas. Com mais ou menos curvas. Porque são as nossas imperfeições que nos tornam únicas. O importante é que nunca nos desleixemos com o mais importante: nós. Qualquer dica, truque ou regra perde a validade se aplicada a uma mulher que não cuida do seu cabelo, da sua pele, que não tem cuidado com a apresentação das suas mãos e anda com o verniz lascado durante uma semana inteira. Vão por mim! Sei do que falo... O dia corre menos bem se não me sentir bem comigo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Amei ...vou tirar notas para sempre que for as compras ter em atenção estas dicas. As fotografias do not e do hot são perfeitas e consegue-se ter uma ideia da realidade, do que fica bem e o que não fica. Fiquei mesmo feliz com este post .. ;) acho que devias escrever um livro. Com toda a certeza que ias rer muitos leitores. Obrigada por este post ;) vai dar muito jeito. Beijinho Carla Costa

A Bomboca Mais Gostosa disse...

Adorei o post e estou a gostar muito também dos outros :)
Vou seguir!

Se eu pudesse escrevia um livro disse...

Gostei bastante do post!
Parabéns :)

Ervilha Coscuvilha disse...

Gostei muito do post, muito obrigada minha cara lamparina! :) * Por outro lado senti que estive noutro mundo durante algum tempo porque não fazia ideia que a Jessica Simpson estava nesse estado! Há quanto tempo é que isto dura? Meu deus, estou tão desactualizada..