quarta-feira, 18 de julho de 2012

Falta-me tudo.

Abigale Clancy
Já passou mais de um ano desde que mudei a minha vida com "a" dieta. Era mais uma resolução de Ano Novo, daquelas que não esperamos cumprir mas desejamos que aconteçam por si. Desta vez foi diferente. Quem diria que depois da passagem de ano surgiria uma oportunidade de trabalho que incluía o cumprimento de uma promessa adiada? Entrei de cabeça no projecto e perdi vinte e tal quilos (dicas aqui). Ao contrário do que imaginava, não fiquei toda vaidosona, como já vos contei. Está a ser difícil (ainda!) adaptar-me ao meu corpo. Fiquei sem roupas, sem maminhas e sem saber como me vestir. "Agora podes usar tudo!" - tretas. Antes sabia o que esconder, agora não sei o que realçar. E vou escondendo essa insegurança com camisas largas, tops básicos e t-shirts simples. Os acessórios são a minha salvação, que os sapatos e a bijuteria dão logo um ar giro aos jeans e ao top branco.
Antes de ir de mini-férias, ganhei coragem para reorganizar o closet e retirar de uma vez por todas as roupas antigas dos meus armários. Separei tudo o que já não uso, que não me serve e que não vale a pena mandar ajustar. Sobrou pouco. E eu deprimi. Sinto-me sem roupa. O que vale é que estamos em saldos... 
Bom, no meio desta azáfama (Ai este vestidinho pode ficar giro na D., talvez isto sirva à M., a A. pode gostar destas calças e deste top...) decidi experimentar os meus biquínis e foi o descalabro. De todos os que tinha, fiquei apenas com uma parte de cima e uma parte de baixo, além do fato de banho da natação. Já comprei um, liso e cor-de-rosa, parecido com o da foto, porque a falta de inspiração me invadiu assim que entrei na Calzedonia. Nem sei porque me esforcei tanto na busca pela parte de cima perfeita. Acho que este ano podia ir para a praia só com uma tanga do Snoopy, toda a gente ia achar que aquela pessoa estranha é um menino de 12 anos de cabelo comprido...

5 comentários:

Joa disse...

Oh... não estarás a exagerar?! ***

Ervilha Coscuvilha disse...

Beem, estranhamente sempre ansiei toda a vida por ser ter aquele peso que imaginamos ideal, nunca fui gorda, mas nunca me senti bem com o meu corpo (e acho que nunca vou sentir, enfim, manias). Agora nunca imaginei que não te adaptasses bem ao teu novo eu, mas acho fantástico tu sentires-te tão bem com aquilo que eras, acho isso um máximo! Adorava ter essa confiança :)
Um beijinho grande e muita força, porque estás óptima!

Karina sem acento disse...

Compreendo-te tão bem! No ano passado decidi ir ao nutricionista e desde então já perdi cerca de 12Kg. E fiquei sem roupa. Soutiens então, nem um se aproveitou (só guardei o que levei ao meu casamento, por motivos de recordação). Tenho andando aos poucos a comprar roupa que me sirva decentemente, mas mesmo assim há alturas que, ainda não habituada a estar bem mais magra, acabo por comprar um top mais largo do que deveria. ****

Marias Choc disse...

O problema é quando é ao contrario, engordei um bocadinho, saí do meu peso normal e quase fico sem calças mas não me livro de nenhuma porque sei que mal acabam os exames emagreço logo.

Anónimo disse...

Apesar do teu dilema como te admiro, engordei 26kg na gravidez e ainda me falta mto para chegar ao que era antes. O meu dilema é conseguir vestir.me e esconded o q nao gosto ...mas ultimamemte tenho mudado alguns habitos que têm demonstrado resultados. Sabes ...tena que me dar umas dicas, tens imenso bom gosto e as vezes sinto que preciso de ajuda.
E agora essa fase é uma questao de habito ;) admiro muito o que conseguis.te e nem imagino o esforço ;) parabens.
Carla Costa