quarta-feira, 6 de junho de 2012

É tudo mais simples quando abrimos o jogo.

Kate Moss
Não tenho paciência para meios. Gosto de inícios e de fins.
Não tenho paciência para meias verdades. Gosto de tudo dito.
Não tenho paciência para meias palavras. Não acredito que bastem.
Sou mulher de tudo ou nada, de preto no branco. Gosto de ter tudo inteiro. Um todo é sempre melhor que partes.
Não gosto de metades, não tenho pachorra para pontas soltas. Gosto de conclusões, de certezas e de clausura.
Não me incomoda que me achem bruta, demasiado intensa ou séria demais. Prefiro uma verdade incómoda que um constrangimento provocado pelo que não se diz. E quando não existe a coragem, o respeito e a consideração que a transparência traz, afasto-me. Porque não tenho paciência.

3 comentários:

Fiona disse...

Minha querida lamparina, mas que palavras tão, tão acertadas... Deixas-me partilhá-las lá no meu estaminé? :)

menina lamparina disse...

Claro que sim, Fiona! :)* Não precisas de pedir, querida. Beijinho*

Fiona disse...

Obrigada ;)