terça-feira, 8 de maio de 2012

Não faço géneros.

Candice Swanepoel
E depois há aquelas gajas que não têm noção, sabem? A pequenez não lhes permite distinguir educação e simpatia de excesso de confiança. E então dizem a primeira baboseira que lhes sai daquela boquinha podre, atirada por aquele cérebrozinho pequenino e labrego, como se tivessem imensa gracinha. E eu, que até tenho fama de ter um péssimo feitio, contenho-me para não lhes partir uma mesa na cabeça enquanto as chamo pelo verdadeiro nome. Como são mesmo burras, nem se apercebem da enorme bosta que se atreveram a fazer.

2 comentários:

Ao Virar da Esquina disse...

Partir uma mesa na cabeça? Espero que seja mesmo uma forma de expressão...

Ana Bauer disse...

Ele há cada uma! :)