sexta-feira, 11 de maio de 2012

Lembrar de quem somos.

Kate Hudson
Hoje decidi tirar um bocadinho do dia para mim.
É que ontem tive o dia mais comprido da minha semana. Tive a semana mais comprida dos últimos meses. Não que tenha estado mais down, mas porque o cansaço se está a apoderar de mim, do que sou, das minhas reacções.
É que ontem acordei muito, muito cedo, sem ter adormecido a horas que me permitissem descansar. Tenho tido insónias e dias cheios, daí a ausência da Menina das vossas caixas de comentários. Tive que estar num sítio onde me cruzei com pessoas que não queria voltar a ver até desaparecer deste planeta. Ansiedade, espera, ansiedade, desconforto, ansiedade. Recordei coisas difíceis, dores que não verto. Um ano, um mês, onze dias. Ainda dói.
Ontem passei o dia exausta. Sorri sem vontade, senti as lágrimas sempre prontas a revelarem-se. Pouco falei, não reagi, disfarcei. Ontem não tinha paciência para nada. Nem para ninguém. Ontem só queria dormir até Outubro. E mesmo assim, tentei ser simpática, tentei não errar, tentei ajudar, cumprindo os mínimos.
Ontem bebi um fino e fiquei completamente grogue. Ri-me que nem uma perdida durante cinco minutos, com toda a gente séria à minha volta. E fechei-me comigo no wc, com o ataque de riso mais incontrolável dos últimos tempos, make up borrado e bochechas doridas. Passou.
Ontem esqueci-me de tudo o que queria saber. E então só queria chorar, que tenho tentado fazer tudo bem feito e afinal sou humana.
Ontem queria lá saber.
Ontem relembrei o prazer de ver para lá do que os sentidos apuram. Recordei a simplicidade de se ser humano, desconstruí-me e ao fazê-lo, voltei a ver os outros como sempre soube. E é tão bom ter uma visão clara e límpida.
Hoje decidi tirar a noite para mim.
É que ontem tive o dia mais comprido da minha semana. Tive a semana mais comprida dos últimos meses. Estou esgotada e já nem consigo enumerar tudo o que me trouxe até aqui. Não vale a pena. Sugaram-me. Já não tenho nada cá dentro. Descalça, os pés na pedra. "Respira fundo" e eu respiro fundo.
Hoje decidi tirar a noite para mim, matar saudades de uma parte do meu coração. E não vamos beber um fino, mas sim três ou vinte. E vamos rir juntas.

3 comentários:

Vanessa. disse...

Que palavras maravilhosas!

Rainha das Estrelas disse...

vejo-me em cada palavra que escreveste aqui... :/
Só te posso enviar um abraço apertado! <3

Paula Sofia Luz disse...

Eu, séria à tua volta, me confesso: a menina é muito mais bonita e poderosa quando ri. Pronto. Era só isto.