quinta-feira, 31 de maio de 2012

Desistir.

Lana del Rey
E então ela fica magoada com tudo. Tudo lhe dói no corpo cansado que guarda um coração pequenino, frágil e delicado. Cada ausência sentida, cada tom de voz que não envolto em amor, cada palavra áspera que lhe dirijam. Se num olhar não há mais que frio, sangra um pouco mais por dentro. Se não sente o calor do abraço, nota um canto da alma mirrar. Se lhe cobram ser antes ter dado, perde o vigor e cerram-se as pálpebras. E então ela fica magoada.