terça-feira, 13 de março de 2012

Manipular.

Victoria Beckham
Fazê-los sentir-se vitoriosos sem que tenham ganho nada.
Premeditar comportamentos básicos e ir jogando sem que se apercebam.
Calar quem não devia falar.
Arrumá-los nos seus lugarzinhos sem que notem a minha presença.
Controlar o jogo sem que saibam que sou jogadora.
Há um certo cinismo, uma dose de diplomacia e um quê de astúcia no jogo de cintura que é necessário para viver em sociedade.
É preciso ser um bocadinho sonsa, um bocadinho dissimulada, um bocadinho manhosa.
E às vezes até pode ser divertido.
Mas não seria melhor se pudéssemos ser sempre nós? Apenas nós? O nosso eu transparente, honesto e franco? Sem merdas? Sem tretas?

5 comentários:

mariana costa veludo disse...

Às vezes é preciso manipular, jogar e encenar. Às vezes não podemos ser nós, mas às vezes - e lá vem mais um às vezes - é giro, é divertido.
Às vezes só às vezes !

tiago leal disse...

Um bocadinho utópico mas sim, era o ideal...

viagensnomeucaderno.blogspot.com

Palco do tempo disse...

beijinhoooo**

Malas e Sapatitos disse...

Ás vezes é mesmo preciso fazer isso...

menina lamparina disse...

Só às vezes, Mariana. :)*

Não era, Tiago? Eu adorava. :D

Beijinho, Palco do tempo*

Mesmo, Sofia. É uma questão de auto-defesa. :)*

Beijinhos*