quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

E vocês? Pensam nisto?

Lauren Conrad
Há pessoas que conheço apenas superficialmente e que acho interessantes ou muito bonitas, mas com quem nunca tenho oportunidade de falar mais um bocadinho. Por norma, não passamos do "Olá, tudo bem?".
São pessoas que me deixam curiosa, quero saber se são como imagino e presumo.
São pessoas com quem simpatizo.
Gosto mesmo de conhecer pessoas, vê-las para lá do que mostram. Provavelmente, nunca saberão deste meu interesse. O que me chama a atenção é a sensação de profundidade, sabem? E a certeza de que não se sabem tão bonitas como a minha retina as capta.
Sem querer, dou por mim a pensar se por algum acaso haverá alguém como eu. Alguém curioso desta forma. É que não quero saber das suas vidas, quero saber quem são por debaixo da pele.
E depois, ocorre-me aquela questão que me acompanhará até que possa sair do meu corpo: como me verão os outros?

11 comentários:

Olhó Mau Feitio disse...

Eu tenho uma sensação parecida, no transito ou numa rua movimentada penso "o que estarao as outras pessoas a pensar?", "está mais alguem a pensar o mesmo que eu?"

Marlene ribeiro disse...

hummm eu acho que já pensei nisso!! Mas agora penso mais ou menus isto: "eu sou como sou, e conheço me muito bem, e quem realmente importa conhecer me é a minha mãe e o meu mais que tudo, que me conhecem a 200%, os outros são formigas!" hhihihi beijinho

Maria disse...

ás vezes acontece-me ;) tenho curiosidade para saber se a pessoa é tão 'bonita' como eu a imagino... Geralmente não fico muito tempo apenas com a opinião! lol arranjo maneira de abordar as pessoas ou fazê-las saber que a menina aqui simpatizou com ela/ele ;)

bjo*

http://makeupblah.blogspot.com

marlene disse...

Por norma, todos temos a tendência, de "rotular" as pessoas. Mais grave ainda, rotulamos quem não conhecemos...
Não vou dizer que, não me questiono ácerca do que "A" ou "B" pensam de mim, e naturalmente se não me conhecem, a probabilidade de emitirem juizos distorcidos á minha pessoa, é mais que certo.
Daí que eu quando faço o mesmo, em relação a uma pessoa que não conheço, consigo ter a capacidade (ainda bem) de dar o beneficio da dúvida!
Mas confesso ás vezes também tenho a curiosidade em saber o que certas mentes pensam de mim...

Helia disse...

Olá Ana,

Nao és a unica a pensar assim..Noto que muita gente facilmente tira conclusoes sem sequer se DAR ao trabalho de conhecer..Isto é, saber que corresponde ao que se pensa... :)

Beijinhos

Ervilha Coscuvilha disse...

Eu sou mesmo assim! Penso imenso sobre isso, e dou muito valor ao que as pessoas pensam sobre mim (não é assim muito bom), e às vezes gostava de perceber o que pensam e acham de mim, no matter what. Mas depois penso que provavelmente não seria assim tão bom saber o tudo e o nada..

Anónimo disse...

Acho que sinto o mesmo, alias acho que vou "mais longe que tu"! Chego a ter vontade de simplesmente sentar-me numa mesa com alguém que não conheço e conversar, tenho uma necessidade que me parece pouco vulgar de conhecer pessoas. Infelizmente não podemos simplesmente dirigir palavra a quem nos apetece senão somos dados como doidinhos ou então (julgam que) há logo segundas intenções. Mais do que isso, penso como os outros serão... se superficiais ou se darão a mesma importância a detalhes que eu tão desesperadamente procuro serem correspondidos.

Bárbara Rebelo

menina lamparina disse...

Também penso nisso, Olhó Mau Feitio. Adoro sentar-me numa esplanada no meio de qualquer rua movimentada e observar as pessoas, imaginar como será a vida delas, que dores já sofreram e que sucessos terão comemorado... Dava um livro por pessoa! :D :*

Boa, Marlene ribeiro. Essa atitude é mesmo a melhor. Interessa quem conta, o resto é cocó! :D :*

Exactamente isso, Maria. Comigo, mesmo que não faça nada, acabo por conhecer as pessoas porque a vida é uma querida é trá-las até mim... :D :*

Verdade, marlene. Detesto rótulos e irritam-me imenso. Normalmente fazem de mim uma pessoa horrível, que nada tem a ver com o que realmente sou. Não me incomoda muito porque sou bastante segura e sei que quem me conhece vê para além da pele... mas chateia-me a parte de não darem o benefício da dúvida, como dizes. É que eu dou sempre. Não engulo tudo o que me dizem, assumindo como verdade o que se diz levianamente... :)*

Exactamente, Helia! Parece que dá muito trabalho pensar... Assume-se que fulana de tal é parva e sem que ela se aperceba disso, é parva e ponto final. Acho isso de uma extrema ignorãncia. :/ :*

Não, não seria nada bom saber tudo o que pensam sobre nós, Ervilha Coscuvilha. Haveria muitas coisas falsas, mas muitas outras verdades que não iriam ser bem aceites, com toda a certeza. O melhor é mesmo tentar ser a melhor versão de nós mesmas e dar valor às opiniões que realmente interessam... :)*

Oi Bárbara* :) Eu também tenho essa vontade imensas vezes e confesso que já abordei pessoas só porque sim, porque queria falar, ouvir e saber como eram. Nunca correu mal, felizmente! :D De facto, as más interpretações são um perigo... mas no momento, nem me lembro disso! :D Devo ser considerada doidinha várias vezes. E é sempre surpreendente descobrir que afinal, há mais gente profunda, inteligente, sensível e com quem podemos aprender mais qualquer coisa. Gosto disso! :)*

Beijinhos*

Fiona disse...

Acho que teremos sempre a dúvida de como será que os outros nos vêm. Sou tal e qual tu: gosto muito do contacto interpessoal e de conhecer novas pessoas porque acho que é o que de melhor podemos levar desta vida :)

Anónimo disse...

Constantemente!
Aconteceu-me isso ctg qd comecei a ler o teu blog, uma vez que só te "conhecia" (mal) dos tempos da escola.
Tb sou como a Bárbara ;) e entendo o que ambas descrevem, mas costumo resolver a coisa com uma gargalhada e sigo em frente!

(sou só eu que sinto que cheguei a um patamar da vida em que acho que posso dizer e fazer o que me apetece sem pensar se os outros me acham doida ou nao??? espero que nao lol)

Gosto de acompanhar o teu blog. Continua!*

Filipa Alegrete

menina lamparina disse...

É mesmo o melhor que podemos levar desta vida, Fiona! Toda eu sou comunicação - adoro falar, mas também adoro ouvir. Adoro conhecer pessoas com quem aprenda qualquer coisa!
E sim, essa dúvida ficará para sempre connosco... :)*

Ohh Filipa... :) Que giro!
Sabes, fico sempre meio tímida quando alguém que me conhece de fora da blogosfera me lê aqui... porque sei que a maior parte das pessoas antipatiza comigo antes de me conhecer. Esse estigma dá-me tanto jeito quanto me incomoda... Por outro lado, penso como tu: who cares? Que me achem doida, pronto. Eu sei quem sou, os meus também e isso é que importa!
Obrigada por passares por cá! :)*

Beijinhos*