quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Desinteressante.

Camilla Belle
Ela queria ser como eu e eu não percebi. Queria atenção, mas as relações não se forçam. Queria ser especial para mim e não tinha como. Então eu tive um impacto gigante na vida dela, sem reparar. Sem querer. Mostrei-lhe o mundo sem saber que ela me espreitava, atenta. Aprendeu música, moda, filmes, séries, feminino. Não sabia nada. Ninguém lho tinha mostrado antes.
Era daquelas pessoas que tentava constantemente abafar os outros, virando para si as atenções. Sem sucesso, que o desinteresse não se contorna.
Foi dessas que tenta criar laços com os outros a partir de pequenas e falsas cumplicidades. Segredinhos, má língua. E eu fujo disso a sete pés.
A distância fez-se sentir e eu nem senti a sua ausência. Anos depois, tantos anos depois, já a minha vida é outra e reparei em tudo isto. Estranho como podemos ter tanta importância para quem não nos é especial.

2 comentários:

Imperatriz Sissi disse...

Não conheço a peça mas pela descrição, bons ventos a levem! Estas pessoas são bombas relógio que se passam mais cedo ou mais tarde. E quando explodirem, mais vale estar longe...

menina lamparina disse...

Podes crer, Imperatriz. E dessas pessoas sabes tu bem, que a experiência não te poupou, unfortunately... Beijinho*