sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

das Brigadas de Trânsito

Fearne Cotton
Mal vislumbro aquelas riscas laranja nas viaturas, cedo ao nervosismo. Sem razão, que está sempre tudo bem e não há motivos para multas. Mas fico sempre super nervosa, com ataques de riso que fazem com que os polícias me julguem bêbeda. Ou demente.

Assim que me mandam encostar, enfio o carro por um qualquer buraco, com uma violência desmedida e um notório descontrolo dos membros superiores.
- Boa tarde, shôra condutora. Os seus documentos, por favor. - Já me estou a rir neste momento. É que ver o meu nome substituído por "shôra condutora" é no mínimo cómico. E o semblante sério com que me abordam? Impossível não me desmanchar...
- Ai oh pah quais é que são os meus? É a carta e o B.I., certo? - pergunto eu à minha mãe enquanto despejo a minha mala com uma sofreguidão furiosa. - E os do carro? Ohh meu Deus onde estão os documentos do carro? - murmuro enquanto vasculho o porta-luvas e reparo que o senhor fardado anda à volta do meu carro, possivelmente a examiná-lo para encontrar uma qualquer falha mínima de que ainda não me apercebi, só para me poder multar. Continuo a rir, já às gargalhadas.
Depois de lhe mostrar a pasta dos documentos do carro para que escolhesse os que lhe interessassem, pergunta-me se tenho o triângulo e o colete...
- Claro. O carro já trazia.
- E pode mostrar-mos?
- Sim... - respondo, encolhendo os ombros e com um sorriso parvo que teima em não sair da minha cara, meio contrariada porque isto já está a demorar tempo demais e eu queria era ir-me embora.
Saio do carro e vou ao porta-bagagens. Tenho a certeza de que se tivesse acabado de ter um acidente, encontrava essas porcarias num ápice. Agora não faço ideia de onde isso está... Abro todas e cada uma das mil portinholas para esconderijos que o carro tem. Chego a uma maior, onde está acomodado o pneu suplente e uma coisa desmontada. Aponto para ela e digo ao polícia, já perdido com a conversa que estava a ter com a minha mãe:
- Está aqui o triângulo!
- Isso não é o triângulo.
- É, sim. Está é desmontado. - Recordo que digo tudo entre risos.
- Shôra condutora, isso vai dar-lhe imenso jeito para trocar pneus. Isso é o macaco.
- Ah... - E solto mais uma centena de gargalhadas.
Toca a procurar mais um bocado. Encontro o colete ao lado da caixinha para primeiros socorros e uma caixa preta.
- Deve estar dentro desta caixa, não é?
- Não. Isso é a caixa de primeiros socorros.
- Não, não. A caixa de primeiros socorros está por cima. Esta caixa preta e comprida é o triângulo.
- Então mostre cá.
E era. Depois de falar sobre os olhos da minha mãe, que lindos que são, lá nos deixou seguir em paz.

Isto de rir tanto já me tramou várias vezes, porque invariavelmente acabam por me pedir para soprar no balão. Quando o resultado é 0.00, nem querem acreditar. Não sei porque fico tão nervosa. Vocês ficam?

10 comentários:

mariana costa veludo disse...

Confesso que felizmente ainda não fui mandada encostar. Felizmente pq quando os vejo entro - literalmente - em pânico !

beijinho "shôra condutora! "

Filipa disse...

Ahahah
também ficava nervosa mas não me dava para rir nessa situação mas essa descrição lembrou-me a infância: eu e um dos meus irmãos, quando o meu pai estava a ralhar connosco, ficávamos sempre com vontade de rir mal olhávamos um para o outro, e claro que o meu pai mais irritado ficava...na maior parte das vezes, com o nervosismo também me dá vontade de rir.

Beijinho com gargalhadas,

Filipa

www.welc-home.blogspot.com

Marie disse...

Eu fico! Estou sempre com medo que tenha de ir para casa a pé x) Uma vez até me esqueci de tirar os máximos quando me mandaram parar.. é horrível!

Anónimo disse...

Não têm que ficar nervosas, os guardas não mordem.

Manewito disse...

tenho de concordar com uma mulher...:))) estou a brincar óbvio...como é complicado controlarmos por vezes reacções do nosso organismo, se por um lado ainda bem que nem tudo está sob o nosso controlo, por outra via passamos por situações que só nós mesmos as "merecemos" sem qualquer culpa mas que pode ter consequências...depende sempre de como quem nos aborda as interpreta ou simplesmente como esse dia, noite ou momento da vida lhe está a correr de feição...mas não deixo de ter de confessar que tive mesmo de sorrir com este "post"...:)))

João Santos disse...

Olá menina condutora,
Não se preocupe que não é a única que tem essa reação quando é fiscalizada. Há diversas senhoras a reagirem assim e, no meu entender, desde que não se falte à educação, nem se exagere, não há qualquer problema...Pelo menos é a opinião de um daqueles que mandam parar...;)
Feliz Ano Novo

Anónimo disse...

Parti-me e rir com o sucedido, ainda bem que não ouve problemas. Beijinho e continua com o teu blog espectacular.

menina lamparina disse...

Ai Mariana, que sorte!! :D Eu estou sempre a ser mandada parar... só na última semana foram duas vezes. lol e é sempre o mesmo filme, está claro. Beijinho*

LOL Filipa isso acontece-me sempre que alguém está a mandar vir comigo. O noivinho passa-se com isso, mas eu não consigo controlar... eheheheh :D Beijinho, querida*

Ahahahah Marie, a mim já me aconteceu arrancar com os faróis desligados depois de me terem feito soprar o balão... e ter um polícia a correr para a frente do meu carro para me avisar. Fico mesmo croma! :D Beijinho*

Não mordem mas podem fazer-nos ficar na miséria, Anónimo das 20:02!! :D

Por acaso tenho tido sorte com os senhores polícias, Manewito. Acabam sempre por rir comigo... acho que já devem estar habituados. :) Ainda bem que também sorriste! Beijinhos*

João Santos, feliz 2012 para si também! Mas é possível que um senhor da BT tenha vindo mesmo parar ao lamparina? Ahahahahahah que giro! :D Fico feliz por saber que não sou a única... Beijinhos*

Obrigada, Anónimo das 16:29! :)*

marlene disse...

Parece que me revi neste teu post...nunca encontro os documentos, depois o meu marido guardo tudo, então tenho colecções de papeis do seguro, pelo que primeiro q o policia encontre o do ano em curso....
Depois de eu vir dos saldos na 5ªf, passei um sinal vermelho.Azar, a policia estava mesmo do outro lado da rua...solução fazer-me de tola: 2Ó sr. agente fiz alguma coisa de mal? Eu passei um vermelho? Olhe q nem reparei, pq venho tão nervosa pq ando á procura do CHSFrancisco pq vou fazer um exame médico(mas isto era verdade), que se calhar por isso é que nem reparei, mas pronto como foi uma infracção grave (não, foi muito grave diz ele!!!) o sr. agente se tiver q fazer com o q tem que ser feito (buahhhh!!!). Resultado: tenha mais atenção e q corra tudo bem com o seu exame! UFA! ao fim de meia hora ainda estava a tremer!

menina lamparina disse...

Ahahahah marlene, parece que a malta se deixa mesmo intimidar, hum? :D E isso é que foi sorte, o cop foi um amoroso! (Choramingar também costuma resultar!)
Quando nos virmos ao vivo conto-te porque não me importo de ser mandada parar dentro das fronteiras do concelho... xD
Beijinho*