sábado, 12 de novembro de 2011

Mi.

Olsen twins
É a menina mais bonita do mundo.
É a menina mais inteligente do mundo.
É a menina mais madura do mundo.
Eu poderia perder uma vida, um blog inteiro a elogiá-la. Porque é minha irmã. E podia ser a minha irmã gémea, não tivesse existido uma década entre 1985 e 1996, anos em que nascemos.
É responsável, ponderada mas sonhadora, fiel a si mesma, sincera e tem uma presença fortíssima. Sem saber disso, é daquelas pessoas que iluminam um espaço e cuja ausência se sente. Sem ela, a casa fica vazia. Quando está triste, eu fico também. Se a fazem chorar, cortam-me o coração. Talvez seja a diferença de idades a causadora deste sentimento de protecção. E é porque apesar do meu amor por ela consigo ver tudo o que a faz ser tão especial enquanto ser humano que a sei merecedora do melhor. Do melhor do mundo, das pessoas, da vida. Do melhor presente e do melhor futuro. No que depender de mim, nada será obstáculo para o seu sorriso. Porque ele é bonito demais para se esconder atrás de lágrimas. A minha irmã é a razão para muitas das minhas opções porque não me custa - a mim, que sou apenas irmã - abdicar do que for necessário em prol do seu bem-estar. Seria a única pessoa por quem daria a vida sem pestanejar. É assim e será assim. É por ela que quero ter sucesso e sei que um dia não vamos precisar de ninguém porque teremos a outra mão, segura. Não confio em mais ninguém para viver em função dela. Para a proteger. Para tomar conta do coração dela. Porque há sempre coisas mais importantes. Não para mim. Ela é a minha prioridade. E quando se ama não custa.

3 comentários:

Ana Portela disse...

Que post tão amoroso! Beijinhos para as duas*

Tamborim Zim disse...

Como te entendo e subscrevo Lamparina! Vivam os nossos amores maiores. Vivam, vivam, vivam:)) Post Ma(g)no.

menina lamparina disse...

Amoroso é o teu comentário, Aninha* Obrigada, beijinho para ti também! :)*

Tamborim, adorei esse trocadilhooooo!!! :D
Fantástico que compreendas e sintas o que tento transmitir através das palavras. É que não constam no meu círculo de amigos muitos irmãos com relações tão próximas e íntimas como a que tenho com a Mana Lamparina. Por isso mesmo, muitos são os que a estranham. :D
Beijinho*