sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sobre a Moda Lisboa. Ah pois é!!!

Zooey Deschanel
Agora que a febre da Moda Lisboa já está a acalmar, posso dizer o que realmente penso sobre o assunto? É que cheguei à conclusão que, de facto, nunca poderia ser uma daquelas bloggers fashionistas cujos blogs me fazem perder a cabeça, porque fico mesmo triste quando vejo desfiles de criadores nacionais. Não me convenço. Na maioria das vezes, acho pobre, parolo ou uma inútil tentativa de marcar a diferença.

Passo a explicar: quer-me parecer que os nossos fashion designers deveriam parar de tentar fazer moda. Deveriam parar de tentar ter estilo. Parar de tentar. Talvez assim começássemos a ter grandes colecções. Não me interpretem mal, há nomes portugueses que aplaudo de pé, mas são tão poucos que mais valia levá-los para as fashion weeks a sério (aquelas lá de fora, que realmente lançam tendências), que deixá-los aqui entregues aos bichos.
E sim, eu sei que temos nomes no belo do estrangeiro - por falar nisso, deixem-me pegar no exemplo da Fátima Lopes para vos dar a entender o meu ponto de vista. Já repararam que há anos que a senhora só desenha roupa para strippers? Um triângulo de lycra em cada mamilo, uma saia comprida com uma mega racha até ao pipi, uma sandaloca cheia de fivelas até ao joelho e com salto agulha e pimba! fez-se um desfile.
Fátima Lopes é uma ganda marketeer, criou uma marca notável, mas confesso que ali não vejo grande arte no desenho de roupas apetecíveis, usáveis, confortáveis. Além disso, é sempre mais do mesmo. Estão a ver mais ou menos o que quero dizer?

Não quero que pensem que estou possuída por aquele espírito portuguesinho que afirma que só o que vem lá de fora é que é bom. Nada disso.
Claro que há excepções, claro que há gente cheia de jeitinho, há os Burgueses, os Ricardos Pretos, os Pedro Pedros e os Nunos Baltazares desta vida, mas a verdade é que fico sempre de bochecha descaída quando reservo algum do meu tempo para dar uma vista de olhos nos trapinhos com que os modelos e as celebridades cá do burgo desfilaram por essa passerelle fora.

Quando o assunto não são os estilistas mas as marcas nacionais, o meu discurso é completamente invertido. porque aí, pelo menos, as criações são pensadas para as pessoas - os consumidores.

Bom, disse eu lá em cima que de facto nunca poderia ser uma daquelas bloggers fashionistas porque reparei que além deste triste e desiludido desamor de que vos falo, dificilmente teria tempo para elaborar aqueles looks edgy como deve de ser. Não teria pachorra para andar sempre à cata dos must haves da semana nas Blancos e Primarks deste mundo. Não suportaria as dores nos pés. Não teria coragem de sair à rua num misto de Lady Gaga e hipster. Não gosto assim tanto de chamar a atenção. Não teria paciência para me fotografar com o outfit do dia nem para vos falar bem da Moda Lisboa.

E pronto, era isto. Mas fiquem a saber que adoro ver os looks de quem lá vai. Mais do que as colecções.

8 comentários:

Malas e Sapatitos disse...

Concordo contigo!

menina lamparina disse...

Estava à espera de reacções inflamadas e violentas... ahahahah

Beijinho*

Anónimo disse...

Ainda bem que não tens pachorra para isso, pois, caso contrário, este tornava-se um blog igual aos outros 500 mil que por aí andam a abordar os mesmos temas e "rúbricas" e que já começam a parecer todos mais do mesmo. É essa também a razão para ter votado "não" no poll dos passatempos. Espero que a singularidade se mantenha, bem como a variedade de posts, para continuar a ter vontade de "vir cá"!

menina lamparina disse...

Obrigada, Anónimo. :)*

É impossível mudar o registo do blog porque sendo um reflexo meu, também eu teria de mudar. Continua a aparecer!

Beijinho*

mariana costa veludo disse...

Quanto à nossa ModaLisboa este ano tive o prazer de a ver de uma perspectiva diferente e adorei ! Sim, gostei de facto. Acho que está bem idealizada, que tem crescido e que há um esforço de todos para que a cada edição seja melhor e melhor.
Quanto aos nossos criadores, hum.. é difícil. Temos óptimos criadores sim, concordo com todos aqueles que mencionaste e ainda acrescento uns quantos por exemplo Katty Xiomara, Filipe Faísa, por aí. Mas depois há aqueles que não consigo entender. Que são aborrecidos. Que tanto querem que não fazem nada de útil. E sim, infelizmente, não consigo gostar da Fátima Lopes e entendo aquilo que disseste quanto ao seu trabalho. Não lhe quero tirar o mérito, de todo. Aliás um desfile na Torre Eiffel tem toda a pinta e é giro. Mas não gosto das suas roupinhas. Não, não gosto.

beijinho

Mary disse...

Nem mais, subscrevo cada palavra! Para além da fraca qualidade da maioria dos estilistas participantes (com especial destaque para a Fátima Lopes e suas colecções Made in Varão), a excessiva democratização da Moda Lisboa deu em vulgarização. E transformou tudo aquilo numa enorme feira de vaidades protagonizada por freaks suburbanos envoltos em 100% poliéster.

Medo.

Maria disse...

Eu confesso que não sigo a moda (nacional e internacional) muito atentamente. e o que vou apanhando resulta do facto de ler fashion blogues. No entanto, regra geral, até tenho gostado do que tenho visto. acho que melhoraram bastante :-) Quanto à fátima lopes, bem... concordo ctg! lol n faz de todo o meu perfil, tem uma imagem que seria reconhecida até na china mas para mim não dá... nem sequer a nível de espectaculo! eu gostava de ter mais estilo do que tenho :-) mas privilegio quase sempre (excepto no calçado, o fim de semana é para abusar dos saltos) um outfit simples e prático :-) beijinho**

menina lamparina disse...

Mariana, talvez me falte a experiência in loco. Como espectadora, lamento que Portugal não seja palco de verdadeiros espectáculos de moda. Acho que existe potencial humano e criativo, só falta todo o resto: a cultura, o dinheirinho, enfim... os meios para dar e mercado para vender.

Mary, o que eu me ri com as "colecções Made in Varão"! :D Acredito que o país está transformado itself numa enorme feira de vaidades. Protagonizada por suburbanos - freaks ou não. Envoltos em 100% poliéster. Ai, mais vale rir.

Maria, less is more, portanto é provável que tenhas mais estilo do que julgas. A simplicidade é um trunfo. E isto não se aplica ao less das roupinhas da Fátima Lopes... ahahahahahah

Beijinhos*