terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ajudem-me. Compravam ou não?

Estou com dúvidas relativamente a este saco da Parfois. Adoro-o de paixão, mas a verdade é que parece um saco de fim-de-semana, porque é enorme.
No catálogo não parecia ter um tamanho tão exagerado como ao vivo. Estou confusa... Dava imenso jeito para levar a tralha para a faculdade, inclusivamente porque o computador cabe lá dentro na boa, mas não sei se é boa ideia ficar com ar de Mana Olsen.

Agora perguntam vocês: "Ar de Mana Olsen, Menina Lamparina?". Sim.

7 comentários:

Pés de Bailarina disse...

Acho que devemos escolher as malas que usamos consoante o nosso tamanho. Uma mala grande como esta só fica bem a uma pessoa alta. Portanto, se fores alta... Sim! É muito gira :)

Beijinho

menina lamparina disse...

Estou cheia de dúvidas porque o meu metro e 68 parece pequenino com esta malonga no braço. Acho que acabei de decidir... :D Obrigada!

Beijinho*

Maria disse...

a minha experiencia - grande fã de sacos enorme, daqueles que parecem malas de fim de semana - diz-me: que de facto cabem lá imensas coisas e por ser tão grande temos tendÊncia a exagerar e a carregar tudo connosco, o que equivale a valentes dores de ombro!! lol a sério, andei muito tempo com malões mas agora estou a ser mais moderada e a usar uma mala média. nem grande (enorme) nem pequena... bjo**

menina lamparina disse...

Também sou fã de sacos grandes, mas este é mesmo 5XL! Já malas pequeninas, não gosto de me ver com elas, só em ocasiões especiais, onde o outfit peça uma clutch... de resto, malonga para cima e para baixo, que dar cabo do costedo é que é!! :D Deve ser o velho hábito das mochilas de 11kg... ahahahah

Beijinho*

Tamborim Zim disse...

Olha Lamparina, muito sinceramente achos q "invalidarás" esta opinião, mas cá vai: eu deixei de comer animais. Daqui para a frente deixarei também de comprar coisas em pele, incluindo sapatos, mochilas, etc.. Continuarmos a participar, a financiar e a divulgar a exploração animal, em qualquer das suas vertemtes, é assegurarmos a promoção da barbárie. Não atiro pedras: apenas inflecti o meu caminho no q ao tema respeita aos 35 anos. Mas é o q penso e sinto sinceramente, e por isso aqui o divulgo.
Beijinhos.

menina lamparina disse...

Porque achaste que iria "invalidar" a tua opinião? Não poderia achá-la mais interessante.

É que só não sou vegetariana porque quando vejo um bife, não me lembro da vaca.

Talvez pelo facto de ter um pai veterinário, desde pequena que este estreito contacto com animais me faz amá-los e respeitá-los. Detesto que alguns só venham ao mundo para servir de alimento e gostava, por mais foleiro que isto pareça, que todos pudessem pelo menos ser amados uma vez.

Apesar de ainda não ter enveredado pelo vegetarianismo, como carne e peixe em muito menor quantidade do que a maioria das pessoas e gostava de um dia ser capaz de abdicar de um bom hambúrguer. Enquanto esse dia não chega, vou optando por peles falsas e cosméticos não testados em animais. Só uso pele na sola de alguns sapatos, mas não sinto remorsos porque acredito que seja excedente de matadouros.

Seria incapaz de usar uma mala ou um casaco sabendo que o material é derivado da propositada morte de um animal. ;)

Beijinho*

Tamborim Zim disse...

Olá Lamparina:)

Bom, esta conversa n teria fim. De facto, há criação de animais feita a pensar na forma como as peles irão ser aproveitadas (ex.: criados à sombra p a pele n apresentar manchas), e como sabemos o calçado vive da exploração animal. São mortos p os comermos e calçarmos, e vivem mal p os bebermos e barrarmos. Essa é a verdade, e é inconveniente. Por vezes pensamos q acreditamos e defendemos os direitos dos animais, qdo na verdade defendemos os cães, os gatos e pouco mais. N quero nem tenho o direito de atirar pedras, quem sou eu?! Apenas com 35 anos senti esta necessidade e esta consciência. Apena slanço perguntas, ideias, pontes p reflexão e questionamento - foi o q fizeram comigo e por isso serei agradecida p sempre.
Beijinhos e bom resto de domingo.