quarta-feira, 20 de abril de 2011

Uma pessoa em dieta também tem desejos.

Scarlett Johansson
Ando a suspirar por uma refeição da-que-las. Com direito a entradas, tostinhas, patê, salgadinhos, uma chamuça e um Asti. Agradecia um bom leitão d'O Pote, com batatinhas fritas. Coca-Cola a acompanhar. E convinha poder saborear uma sobremesa, sem culpas. Terminava com um café e um moscatel.
Também pode vir um hambúrguer do McDonald's. Ou uma pita shoarma. Massas e pizzas. Whatever.
Há cerca de dois meses que não como batatas (a não ser na base da sopa). Há cerca de dois meses que não entra na minha boquinha faminta um bago de arroz. Massas, nem vê-las.
Talvez este chorrilho de apetites prejudiciais à extinção dos últimos quilos seja o organismo a pedir hidratos de carbono com força... a saudade é enorme. Já não tenho imaginação para mais saladas nem combinações malucas de legumes. Estou farta de maçãs e kiwis. Quero junk food. Amanhã acordarei sem me lembrar deste post, comerei o meu iogurte com uma colher de sopa de cereais que sabem a papel e o meu dia será apenas mais um. Até chegar à meta.

2 comentários:

Anónimo disse...

gosto de ler, mas não gosto de comentar. contudo, perante tamanha aberração... como pessoa da saúde que sou... sinto-me na obrigação de a chamar à atenção para o seguinte:
1º emagrecer é muito mais do que deixar de comer hidratos de carbono - essa dieta estará longe de ser saudável... e até pode resultar em perder peso nos primeiros tempos... mas depois dá asneira da grossa. fome, descontrolo e problemas em qualquer indicador de saúde. já há meses que só come carnes e legumes... faça umas análises. poderá perceber assim o mal que faz a si mesma.

2º caramba, é mesmo necessário assim tanto esforço para emagrecer? e já agora... se não é obesa... que acredito ser a sua realidade... em que contribui para a sua felicidade ser uns quilogramas mais magra?

come on... a magreza já está fora de moda. lute contra isso. fará um bem a si e a todos os que a lêem por aqui.

menina lamparina disse...

Olá Anónimo, seja bem-vindo :)*

Obrigada - genuinamente - pelo comentário.

Na verdade, posso ter omitido factores importantes para uma correcta avaliação do meu novo regime alimentar, prescrito por uma profissional. Não estou simplesmente "de dieta", nem decidi perder peso porque sim.
Estou a ser acompanhada por uma nutricionista, que depois de me submeter a uma extensa avaliação (análises incluídas), elaborou um regime alimentar para que perca peso, já que me encontrava muito acima do ideal.
Nunca fui obesa, mas também nunca quis aproximar-me desse estado...

A dieta não se limita à eliminação de hidratos de carbono, mas já que estou numa primeira fase (a que diz respeito à perda de peso), só posso ingeri-los em alguns cereais pela manhã e nas peças de fruta que vou comendo durante o dia.
Não como só carnes e legumes. Como peixe, marisco, iogurtes, queijo fresco, frutas, tostas integrais, requeijão...

Nunca fui infeliz por ter excesso de peso, embora, como todas as mulheres, me tenha irritado por não caber num determinado par de jeans. Na verdade, sentir-me mais leve e notar que ocupo menos espaço, satisfaz-me. Gosto de descobrir ossos que já não davam sinais de vida há muito tempo. Sentar-me e não ter nenhum pneu a incomodar-me é uma sensação de que não quero abdicar.

E cá entre nós, a magreza está fora de moda, com toda a certeza. Mas a máxima "gordura é formusura" também. O que procuro é o equilíbrio. E sentir-me bem comigo não é nenhum atentado à saúde, pois não?

A verdade é que sem sacrifícios, não se consegue nada. E eu estou disposta a mudar os meus hábitos alimentares. Não apenas agora, para emagrecer, mas também depois, para manter. Porque vivia sem regra, não pensava no que comia e infelizmente, venho de uma família de gente grande e robusta, que mesmo com a prática de exercício físico constante, não perde o estatuto de "malta matulona"... :)

Beijinhos*