segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Lisboa menina e moça

Desde pequenina que gosto de fazer a marginal, de Lisboa para Oeiras. Pedia sempre ao meu pai para fazer esse caminho, qualquer que fosse o destino. Ontem senti o cheiro da cidade onde nasci. E voltei a lembrar o tanto do que lá tinha, que já perdi. E voltei a lembrar o tanto que lá tenho, que me enche o coração.

Lisboa menina e moça, menina
Da luz que meus olhos vêem tão pura
Teus seios são as colinas, varina
Pregão que me traz à porta, ternura
Cidade a ponto luz bordada
Toalha à beira mar estendida
Lisboa menina e moça, amada
Cidade mulher da minha vida

2 comentários:

Jpimentel disse...

E continuar até ao Guincho e seguir em direcção à Serra com destino a Sintra. Lindo!

menina lamparina disse...

Mesmo :)