sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Faz-me sentir assim um bocadinho princesinha.

Eva Longoria
Por motivos vários, pelas agendas preenchidas e pelo exagero de solicitações, fomos obrigados a reservar a quarta-feira para nós. É nesse dia que nos mimamos com um jantar ou mesmo só um café a dois. Tempo nosso, para deitar conversa fora, para rir, para namorar. Esta quarta-feira, estraguei os planos. Soube no próprio dia que um trabalho me iria impedir de cumprir o combinado. Ele não ficou chateado, pelo contrário... encontrou o local no meio do nada onde se realizava a Assembleia de Freguesia que fui cobrir e sentou-se ao meu lado. Esteve comigo. Decidimos ir ao café a que costumamos ir onde não nos apetece encontrar mais ninguém. Jantei por lá e a tosta mista encheu-me o estômago e pesou-me nas pálpebras... Além de me aturar a morrer de sono, ainda me confessou ter gostado da noite.

Adiámos o jantar para quinta-feira. Soube que teria de ir assistir à Assembleia Municipal, coisa que costuma demorar horrores. Começava às três da tarde, por isso, nem pus em causa o nosso encontro. Não me vou alongar muito mais acerca das razões que me fizeram ficar por lá até a uma hora próxima das onze, mas já me estava a sentir incomodada por não ter como acelerar o processo. Tive que aguentar. E a febre ia e vinha, que a tal de constipação ainda não desapareceu. O sono, com ela, não me deixava em paz. E a fome... bem, a fome estava a dar comigo em doida, não havia águas nem leitinhos com chocolate que me safassem. Saí e lá estava ele, lindo, com as minhas flores cor-de-rosa e uma pizza encomendada, que já não eram horas para jantar em restaurante nenhum.