terça-feira, 21 de janeiro de 2014

«Que vergonha.»

Drew Barrymore
Não havia em mim outra palavra que expressasse o profundo sentimento que me tolhia o gesto, ao ler a notícia. A vergonha foi tanta que não toquei no assunto até agora. E mesmo estando a falar disto, não consigo alongar-me.
O que é feito de Portugal? Até quando serão precisas atitudes drásticas como esta para que se abram os olhos dessa consciência cega que nos arrasta por um caminho escuro e tortuoso? Que é feito de nós?
A Maria João Pires sempre foi uma figura familiar cá em casa. A minha mãe, que sempre tocou piano, admira-a e acompanha o seu trabalho. Eu própria ouvia o som que os seus dedos produziam ao pressionar as teclas e ficava com alguma tristeza: nunca seria tão boa como ela, apesar de tocar desde os quatro anos. Talvez por isso esta notícia me tenha deixado com tanta vergonha. Perdê-la enquanto portuguesa, enquanto venham cá chicotear-me a ver se eu fujo os Cristianos Ronaldos são endeusados e ganham valores absurdos por andar a jogar à bola, deixa-me com muita vergonha. Tanta. Imensa.

6 comentários:

Ana Portela disse...

Como eu a compreendo..

Ariana disse...

Isto só mostra o povo pequenino, pequenino que temos. Não damos valor a quem realmente o merece (adorei a referência à adulação a Ronaldo e companhia...).

Helena Pereira disse...

Uma pena. Ela é uma grande pianista e merecia com certeza mais reconhecimento.
Beijinhos grandes.

Fiona disse...

Estou sem palavras... Que País pequenino este em que não se dá valor às nossas pessoas que são sempre muito mais reconhecidas lá fora do que dentro de portas..

Sérgio S disse...

Vejamos a suposta falta de reconhecimento:
...A 9 de Agosto de 1983 foi feita Dama da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 4 de Fevereiro de 1989 foi feita Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique e a 9 de Junho de 1998 foi elevada a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.
Ganhou o Prémio Pessoa em 1989...


Pelo que percebi o problema da MJP não foi o reconhecimento, mas o facto de não ter recebido os subsídios do estado, tipo: "se não me pagaram a mesada que é minha por direito adquirido fujo de casa"

menina lamparina disse...

Olá Sérgio S! No post que escrevi e na notícia que nele partilho não se faz referência a uma falta de reconhecimento. A falta de apoios à cultura é uma realidade e esta atitude é uma consequência disso mesmo. Não me parece que se trate apenas de uma birra ao melhor estilo criança mimada, mas de um protesto sério, legítimo e fundamentado. Contudo, compreendo que não seja percepcionado desta forma pela totalidade da população.

Beijinhos a todos! :)*