quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Acontece

E depois a vida dá uma volta e quando damos por ela, já a poeira assentou sozinha sem que nada fosse feito por isso. E percebemos que entre o nosso objectivo e o ponto exacto em que nos encontramos, há um caminho a percorrer que na verdade já fazemos sem que disso tenhamos tido consciência. Os passos já começaram lá atrás, o corpo locomoveu-se até agora e ainda estávamos com a cabeça perdida no emaranhado de nadas que, afinal, já não existe. Então olhamos em frente, aceitamos o presente e desejamos secretamente que o agora nos leve até ao sonho.


Foi mais ou menos isto que me aconteceu. Estava perdida de medo, estagnada e já com a decisão tomada cá dentro do fundo do peito. Já sabia que não ia deixar parte de mim num lugar em que não pudesse abraçá-la, mas não queria ceder à inércia. Não podia. Até que a Vida me trouxe uma maneira de ficar. Sem remorsos. E eu agradeci. Agarrei-a e decidi anunciar a decisão que já tinha tomado cá dentro do fundo do peito. Só que agora não tenho tempo para escrever aqui. Nem para encher as madrugadas com as minhas letras. Não posso perder tempo quando quero com o que amo fazer. Porque voltei a trabalhar a tempo inteiro. A dedicar-me a um projecto, a construí-lo e a defendê-lo.