terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Tenho mais que fazer do que ficar retida em casa por causa de temporais...

Angelina Jolie
Desde as cinco da manhã que o barulho da tempestade lá fora me arrancava bruscamente do doce sono em que tentava manter-me. O vento parecia levar pelos ares tudo o que encontrava, agitava os estores das janelas do meu quarto e contra os vidros lançava água a potes. Lutei contra as suas tentativas de me perturbar até ao momento em que a Mana Lamparina decide acordar-me, olhos esbugalhados e terror estampado no rosto: que o pai não estava em casa e o temporal estava a deixá-la cheia de medo. «Sempre foste tão dramática», pensei, enquanto lhe dizia para se aninhar ao meu lado na cama para aproveitarmos a manhã de Sábado. A minha calma foi interrompida por um estrondo. Um barulho enorme. Como se as paredes tivessem cedido a qualquer força maior. Num ápice, levantei-me, calcei as pantufas e fui ver se a varanda ainda estava presa à casa. O barulho tinha ecoado pelos quatro pisos, tinha feito estremecer tudo. Tínhamos ficado sem uma caleira. Que alívio. Pelo menos não caiu em cima de ninguém nem de nenhum carro estacionado. A outra, presa por um fio, rangia ruidosamente. O Balthazar em pânico, corria e subia às paredes, os olhos enormes. A Adda gania. Pinheiros caindo à volta do nosso jardim, as nossas árvores de fruto tocando o chão, nada de luz, internet ou rede nos telemóveis. Quando o pai chegou, teve que sair imediatamente: a vivenda de um casal amigo tinha sido atingida por uma árvore enorme. Confesso que voltar ao século passado faz-me apreciar a actualidade. O meu namorado teve que ir buscar comida fora, porque até o fogão é eléctrico. Houve quem ficasse sem telhas, quem tivesse encontrado os seus carros danificados. Foi uma loucura, mas no local onde vivo a normalidade voltou em pouco tempo: a luz regressou às duas da tarde, às oito a televisão e a internet decidiram dar ares da sua graça e os telemóveis ficaram operacionais no dia seguinte. No entanto, a poucos quilómetros de mim, há quem abra a torneira para que nada aconteça. Há quem canse os interruptores sem que as lâmpadas dêem sinal de vida. Agora dizem que hoje a festa se repete e não me dava jeito nenhum... será?

3 comentários:

Lúcia Silva disse...

Deus queira que não! Não me apetece nada voltar ao fim de semana. Só ontem tive internet e televisão.... e esta noite bem me fartei de ouvir chover.

Ainda bem que não houve problemas de maior aí por casa :) aqui também não.

Bjnh

Anita disse...

Em menor escala, mas dizem que sim... e os meus patudos sozinhos em casa hoje :(

lena disse...

Foi mesmo um temporal dos grandes. so o barulho do vento era impressionante.
Beijinhos grandes