sexta-feira, 8 de julho de 2011

da Incongruência

Ana Beatriz Barros
Apercebi-me dessa característica numa aula com a melhor professora de Português do mundo, há muitos anos. "Porque não pedes ajuda?" - a pergunta era inevitável. Sempre preferira fazer tudo sozinha, fruto talvez dos meus dez anos de filha única. "Não consigo." - só em resposta àquela incómoda questão responderia com tamanha incapacidade subjacente. Porque não conseguir nunca tinha existido. E continua a não existir. O conceito não consta em qualquer palavra do meu vocabulário. Só os bons modos me impedem de fazer algo. É por isso que nunca peço ajuda. O mais paradoxal? Não consigo pedir ajuda.

4 comentários:

Eli disse...

Eu também sou muito assim e também sou filha única.

menina lamparina disse...

Então a minha teoria deve estar correcta... :)

marlene disse...

Nã...eu sou filha única, e quando preciso, peço ajuda...

menina lamparina disse...

Não há regra sem excepção, não é? Já dizia o outro. Aquele. Eu cá só peço ajuda se o problema for com o bólide... xD